Atendimento Ao Idoso Nas Emergências Cardiovasculares: Reflexões Sobre A Realidade No MunicÍpio De Uruguaiana/rs.

Valéria Osório Da Cunha, Simoní Engler, Eleine Maestri

Resumo


Introdução: A temática de emergências cardiovasculares abordada na disciplina de enfermagem no cuidado ao adulto em situações críticas de vida, no 6º semestre do curso de enfermagem da Universidade Federal do Pampa, estimulou reflexões sobre a realidade local, que instigaram a curiosidade sobre a abordagem das emergências cardiovasculares ao paciente idoso no município de Uruguaiana. As doenças do aparelho circulatório são a principal causa de mortalidade no Rio Grande do Sul e esta estatística mantém-se no município de Uruguaiana. Conforme Dados do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde ocorreram 261 mortes por doenças do sistema circulatório no município de Uruguaiana em 2007, sendo que destas 222 pessoas tinham faixa etária maior do que 60 anos. Pesquisas revelam que mais da metade dos indivíduos que enfartam tem mais de 65 anos e representam a maioria da letalidade por essa doença no Brasil. Ainda assim, idosos infartados tendem a procurar recurso mais tardiamente. Material e Métodos: Reflexões fundamentadas em breve pesquisa bibliográfica sobre a temática, ponderada à realidade de atenção à saúde do idoso no município. Resultados e Discussão: A expectativa de vida ao nascer no município de Uruguaiana (70,22 anos) é inferior à do estado do Rio Grande do Sul (73,14 anos) (Hentschke et al, 2008). O envelhecimento causa alterações fisiológicas que diminuem as reservas funcionais dos diversos órgãos e sistemas, sendo o idoso mais vulnerável à instalação de descompensações agudas que culminam em situações emergenciais (Chagas et al, 2005). O idoso na situação de emergência cardiovascular é um indivíduo que pode morrer pelas mesmas razões do adulto jovem, porém, ele apresenta essas complicações de forma diferente. As queixas não são consideradas importantes, por serem vagas o que retarda a busca pelo atendimento, bem com a realização do diagnóstico e início do tratamento precoce. Este fato tende a diminuir as chances de sobrevida e desencadear déficit na qualidade de vida relacionado às complicações das emergências cardiovasculares. Em 2003, a portaria Nº 1863/GM criou a Política Nacional de Atenção as Urgências, que tem como finalidade prestar socorro à população em casos de emergências. Este serviço deve desenvolver estratégias promocionais da qualidade de vida e saúde capazes de prevenir agravos, proteger a vida, educar para a defesa e recuperação da saúde, protegendo e desenvolvendo a autonomia e a eqüidade de indivíduos e coletividades. O município de Uruguaiana apresenta fragilidades de ações e programas de saúde específicos para o paciente idoso e não dispõe de suporte avançado de vida. Constatamos a necessidade de elaboração de estratégias que preencham esta lacuna, já que o atendimento na emergência ao idoso precisa de uma atenção especial. Consideramos pertinente a implantação de práticas na rede básica específica para essa clientela, investindo em prevenção, ações que visem à detecção precoce dos sintomas de doenças do sistema circulatório e atendimento de emergência qualificado, como o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). Conclusões: O perfil epidemiológico reforça a necessidade da integração entre a Secretaria de Saúde e órgãos afins para a implantação de medidas capazes de auxiliar na organização do serviço e na mudança do perfil de morbidade. Concluímos que vários projetos possam ser originados desta temática aliando pesquisa, ensino e extensão. Orgão de Fomento: Universidade Federal do Pampa

Palavras-chave


Emergência, Idoso, Infarto, Samu, Uruguaiana

Apontamentos

  • Não há apontamentos.