Sala De Espera: Um Novo Espaço De Cuidado E De Promoção Em Saúde

Naiana Oliveira Dos Santos, Maiana Pinheiro Dos Santos, Vilma Constancia Fioravante Dos Santos, Adriana Roese

Resumo


Introdução: Este estudo consiste num relato de experiência vivenciado por Acadêmicas do curso de Enfermagem da Universidade Federal do Pampa em uma Estratégia da Saúde da Família (ESF), a partir de uma atividade curricular da disciplina de Saúde Coletiva. A Sala de Espera (SE) pode ser descrita como um recurso que o profissional da saúde pode usar para ocupar o tempo de espera por atendimento com promoção da saúde, proporcionando ao acadêmico a capacidade de comunicação, interação com o usuário e práticas educativas. Observa-se que a SE é uma modalidade de atenção que garante a melhora na qualidade de atendimento, maior acolhimento e consequentemente uma maior relação entre usuário/profissional/serviço, respeitando particularidade do saber popular (RODRIGUES et al, 2009). Este estudo tem como objetivos descrever a vivência da realização de grupos de sala de espera em uma ESF e discutir importância do envolvimento do acadêmico nesta prática. Material e Métodos: A metodologia constitui-se de um estudo qualitativo, do tipo Relato de Experiência partindo da observação participante durante a prática de atividade proposta pela disciplina de Saúde Coletiva, abordando temas pertinentes à prevenção e promoção da saúde. Construiu-se um diário de campo a partir das observações realizadas no decorrer das atividades. Resultados e Discussão: Observou-se que a prática da SE exige do acadêmico preparo didático e capacidade crítica de aliar o conhecimento teórico com o saber popular. Este preparo deve responder a demanda de questionamentos do público que aguarda por motivos diversos. Acredita-se que a SE desenvolve no acadêmico a consciência do trabalho num espaço em movimento constante. A relação dos usuários pode proporcionar conforto face a ansiedade e a angústia vivenciada, pois há o sentimento de ver no outro aquilo que deseja ser visto em si próprio. Independentemente do motivo que o trouxe até o serviço, o espaço para a fala/escuta desta atividade proporcionou ao usuário um ambiente de enfrentamento para sua situação de saúde, bem como o esclarecimento de possíveis dúvidas e apoio para ansiedades. A ESF é um espaço privilegiado de assistência que pode fazer uso das tecnologias leves, relacionadas ao cuidado de forma integral, centrada nas necessidades dos usuários e no acolhimento, estabelecimento de vínculo e responsabilização (MERHY, 1997). Assim, as acadêmicas acreditam que a SE é uma alternativa de suma importância na ESF, pois possibilita um ambiente acolhedor aos usuários, levantando as suas necessidades e buscando intervir junto com o processo educativo participativo. Conclusões: A SE foi uma atividade desenvolvida pelas acadêmicas que forneceu várias experiências produtivas, pois através dela, foi possível desenvolver ações que proporcionasse a prevenção de doenças e promoção de saúde. Nesse sentido, o trabalho realizado na SE foi uma ferramenta em que as acadêmicas aproveitaram o tempo de espera das consultas, que, às vezes, é um pouco longo, para educar para a saúde, contribuindo para uma melhor qualidade de vida dos usuários. Percebeu-se que a sala de espera nesse sentido, revela-se como um espaço esperançoso como estratégia educativa, onde os profissionais da saúde podem dedicar uma pequena parte de seu tempo para promoção e prevenção em saúde. Orgão de Fomento:

Palavras-chave


Saúde Coletiva, Promoção da Saúde, Sala de Espera, Enfermeiro, Acolhimento

Apontamentos

  • Não há apontamentos.