O CRESCIMENTO DAS INOVAÇÕES FINANCEIRAS NO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL E SEU IMPACTO NO SISTEMA BANCÁRIO

Bruno Siegl, Andre Devecchi, Jeferson Luis Rodrigues Ferreira Junior, Tanise Brandao Bussmann

Resumo


O presente artigo tem como finalidade apresentar e expor as inovações do sistema financeiro nacional, além de fazer uma comparação do sistema bancário convencional com as fintechs, aferindo as taxas cobradas entre esses bancos e uma análise sobre o crescimento dá utilização do serviço virtual pelos usuários. A comparação realizada foi entre o banco comercial Itaú Unibanco S.A., o qual é a instituição financeira do Brasil com maior número de ativos, e a fintech Nu Pagamentos, conhecida popularmente como Nubank, cujo também é a empresa no ramo virtual financeiro com mais abrangência do setor e crescimento. O estudo realizado foi feito com o intuito de demonstrar como aconteceu o desenvolvimento das plataformas online, onde essas disponibilizam serviços barateados e as vezes nulo, em que as fintechs não necessitam de agências físicas como os bancos convencionais. Abordaremos, também, os riscos e as regulamentações impostas pelo Conselho Monetário Nacional e a fiscalização por parte do Banco Central do Brasil. Dessa forma, este artigo procura esclarecer se houve ou não benefícios referentes à nova tecnologia vigente. Assim, apresentando pontos positivos e negativos do sistema dito convencional.O presente artigo tem como finalidade apresentar e expor as inovações do sistema financeiro nacional, além de fazer uma comparação do sistema bancário convencional com as fintechs, aferindo as taxas cobradas entre esses bancos e uma análise sobre o crescimento dá utilização do serviço virtual pelos usuários. A comparação realizada foi entre o banco comercial Itaú Unibanco S.A., o qual é a instituição financeira do Brasil com maior número de ativos, e a fintech Nu Pagamentos, conhecida popularmente como Nubank, cujo também é a empresa no ramo virtual financeiro com mais abrangência do setor e crescimento. O estudo realizado foi feito com o intuito de demonstrar como aconteceu o desenvolvimento das plataformas online, onde essas disponibilizam serviços barateados e as vezes nulo, em que as fintechs não necessitam de agências físicas como os bancos convencionais. Abordaremos, também, os riscos e as regulamentações impostas pelo Conselho Monetário Nacional e a fiscalização por parte do Banco Central do Brasil. Dessa forma, este artigo procura esclarecer se houve ou não benefícios referentes à nova tecnologia vigente. Assim, apresentando pontos positivos e negativos do sistema dito convencional.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.