4-FENILSELENIL-7-CLOROQUINOLINA PREVINE ALTERAÇÕES COMPORTAMENTAIS MIMÉTICOS A ANSIEDADE E DEPRESSÃO POR BISFENOL A EM DROSOPHILA MELANOGASTER

Fernando Andrade, Diego da Silva Alves, Mustafa Munir Mustafa Dahleh, Vandreza Cardoso Bortolotto, Marina Prigol, Eliza Aparecida Santos Musachio

Resumo


A ansiedade é um distúrbio caracterizado por resposta do organismo a eventos onde o indivíduo encontra-se em uma situação de risco, também podendo ser decorrente de fatores genéticos. Considerando a contínua exposição humana a vários toxificantes, passou-se a associar o exposição a xenobióticos com disturbios neurologicos. Alguns estudos hipotetizam a neurotoxicidade do Bisfenol A (BFA), um monômero orgânico utilizado na fabricação de policarbonatos, presente em diversos objetos e embalagens de produtos alimenticíos. Cada vez mais é nescessário a busca por novos compostos com potencial neuroprotetor. O 4-fenilselenil-7- cloroquinolina (4-PSQ) é um derivado de quinolina contendo selênio que vem se destacando. Este composto alia a ação antidepressiva e antinociceptiva das quinolinas ao efeito antioxidante do selênio, em recentes estudos apresentou uma importante ação neuroprotetora. Tendo em vista que a Drosophila melanogaster, tem sido muito utilizada em estudos devido a possibilidade de combinação genética e molecular, o nosso objetivo foi avaliar em D. melanogaster a ação do 4-PSQ em comportamentos miméticos a depressão e ansiedade, induzido pela exposição crônica ao BFA. Foram utilizadas aproximadamente 50 moscas, de ambos os sexos, com idade entre 0 e 2 dias. O BFA foi diluído e dimetisulfóxido e o 4-PSQ em etanol. Ambos foram misturados a dieta padrão a base de farinha de milho, durante 7 dias dos grupos: Controle, BFA 0,5 e BFA 1mM, 4-PSQ 25mM, 4-PSQ+BFA 0,5mM e 4-PSQ+BFA 1mM. Foram realizados testes já documentados como indicadores de comportamentos de ansiedade e depressão, como: teste de claro/escuro, comportamento repetitivo de grooming e campo aberto. Houve diminuição no cruzamento das moscas expostas ao BFA no teste de campo aberto. Ainda referente a esses grupos de exposição, houve um maior tempo e número de atividade de
grooming, além de uma permanencia maior no lado escuro da caixa no ensaio de
claro/escuro. Já nos grupos onde houve a exposição ao BFA e ao tratamento com 4-
PSQ concomitantemente, observou-se uma proteção do nosso composto frente ação indutiva do BFA aos comportamentos depressivo e ansiolitico. Os resultados dos grupos tratados com o 4-PSQ foram semelhantes ao controle. Com esses resultados podemos concluir que a indução de comportaments mimeticos a depressão e ansiedade induzidos pelo BFA nas moscas, e que o 4-PSQ teve efeito protetor efetivo frente a exposição a este xenobiotico. Esses resultados nos estimulam a realizar mais estudos para descobrir quais as vias indutivas do BFA e os mecanismos do efeito protetor exercido pelo 4-PSQ.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.