APROXIMANDO PESSOAS E CAVALOS: DO LAZER À INCLUSÃO SOCIAL.

Felipe Eduardo Luedke, Adriana Pires Neves, Frederico Guerra Cassanta, Flaviane Saraiva Bastos, Rafael Coelho Correa, Luan Felipi do Nascimento Nunes

Resumo


O cavalo foi responsável pelo desenvolvimento de diversas comunidades no mundo inteiro no decorrer da história, e nos dias de hoje segue tendo um papel importante na vida das pessoas. Contudo, muitas pessoas ainda têm dificuldade num contato mais próximo com o cavalo, principalmente pelo custo, pelo medo por ser um animal de grande porte, ou ainda por limitações físicas pessoais. Em razão disso e entendendo todos os benefícios do contato entre homem e cavalo, sabendo da relação de amizade que pode ser criada e dos benefícios importantes da equoterapia, objetivou-se neste projeto, proporcionar a aproximação de pessoas com o cavalo promovendo a inclusão social de crianças, jovens e adultos da cidade de Dom Pedrito. O projeto teve início em abril de 2017 e contou com a formação de turmas em escolas e entidades do município, palestras em ações sociais em diversos pontos da cidade e aplicação de questionários aos participantes do projeto. De acordo com o levantamento feito pelos monitores do projeto, inicialmente ficaram explícitos os níveis de conhecimento baixo em relação à equinocultura, em geral, 27% dos entrevistados não possuía conhecimento. Já 76% dos entrevistados alegou alto interesse à equinocultura e 100% das pessoas demonstraram interesse em iniciar atividades de cavalgada. O nível de contato com cavalos foi avaliado como baixo; cerca de 52% das pessoas não o possuía, até o início do projeto, demonstrando o quanto ainda podia ser trabalhado e aprimorado nessas comunidades. Cinco meses após o início das atividades, durante os módulos teóricos, foi aplicado pela segunda vez o mesmo questionário, com o intuito de reavaliar a aplicação do conteúdo, a aceitabilidade pelo público e o crescimento de cada participante em relação ao tema do projeto. Em relação ao conhecimento básico sobre a equinocultura, 91% dos entrevistados afirmou conhecimento médio e alto e apenas 9% baixo conhecimento. O interesse sobre equinocultura passou de 76% para 95%, interesse em atividades de cavalgada manteve-se em 100% e o percentual de pessoas que não tinham contato com equinos diminuiu dez pontos percentuais, ficando em 43%, pois os participantes, com o estímulo do projeto já estavam se inserindo em ambientes de práticas equestres, ainda que as aulas práticas do projeto somente tivessem sido iniciadas no mês de outubro de 2017. No decorrer das atividades do projeto foi possível identificar que a utilização do cavalo como ferramenta de inclusão social é fantástica, pois ele desperta o interesse da grande maioria das pessoas. No decorrer das próximas turmas trabalhadas, pretende-se desmitificar a elitização da equinocultura, trazer a possibilidade de inserção de deficientes físicos em todas as situações que o mundo equestre abrange, superar os medos de cada participante e promover a inclusão social através do cavalo, fazendo com que a aproximação da comunidade com a equinocultura seja fortemente e constantemente debatida e praticada e que o cavalo siga como ferramenta de crescimento das sociedades, contribuindo para um mundo melhor.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.