ATIVIDADES LUDICAS: UMA CONTRIBUIÇÃO PARA A FACILITAÇÃO DA APRENDIZAGEM

Glenda Monique Gonçalves Martins, Márcia Mourão Ramos de Azevedo, Romulo Jorge Batista Pereira, Adriane Xavier Hager, Andréia Karoline Góes, Emily Thais Feitosa Sousa

Resumo


A Biologia é uma disciplina que abrange uma quantidade significativa de nomenclaturas específicas resultando em dificuldades no aprendizado dos alunos. Dito isto, materiais didáticos de apoio são fundamentais para o processo de aprendizagem, principalmente aqueles que possuem a ludicidade em seu âmago, pois ela é capaz de facilitar a assimilação dos conhecimentos transferido pelo professor em algo mais sólido para o aluno, despertando a motivação e a criatividade dos alunos e o ajudando a alcançar o seu processo de ensino aprendizagem. Nesse sentido, o presente trabalho teve o objetivo de desenvolver e testar metodologias lúdicas para a utilização no ensino básico visando facilitar a socialização do conhecimento e a contribuição desta prática no processo de ensino e aprendizagem dos alunos da primeira série do ensino médio da escola São Francisco. A metodologia foi aplicada em uma turma com 37 alunos. O assunto abordado durante as aulas foi fotossíntese. A aula foi realizada através de uma demonstração didática (slides) com exposição oral dialógica (explicação teórica e expositiva enfocando o conteúdo), apresentação de vídeos e construção de modelos estruturais sobre o processo da fotossíntese. Ao alunos foi disponibilizado um modelo tridimensional (maquete) de um cloroplasto para melhor exemplificação, os alunos atuaram manipulando as maquetes de forma que pudessem se familiarizar com a estrutura. Os estudantes podiam montar e desmontar as peças do cloroplasto. No segundo momento da aula, abordamos sobre a absorção da energia luminosa pelas moléculas de clorofila. Para o processo cinético, utilizamos uma base de isopor que representavam os fotossistemas 1 e 2 e de forma dinâmica e interativa os alunos manusearam as maquetes. A partir de então, explicamos aos alunos que a luz incide no cloroplasto (base de isopor) e excita os elétrons do fotossistema 2 (imã), e o salto desses elétrons para o fotossistema 1 através da mangueira (palha de aço) até chegar ao NADP+. Ao final da aula os alunos foram submetido a um pós teste. Observou-se acerto de 81% de acertos para a questão 1, 59% para a questão 2, 92% para a questão 5 e 84% a questão. Estes foram os melhores resultados. Observou-se com os resultados que a metodologia aplicada surtiu efeito positivo no processo de ensino-aprendizagem, indicando que atividades lúdicas contribuem com o aprendizado dos alunos e facilitam a apreensão dos conceitos técnicos e científicos de maneira mais acessível e de forma a favorecer a construção do conhecimento pelos aprendentes. A vantagem fornecida pelo uso de modelos estruturais é que proporciona aos alunos um contato com as estruturas celulares e neste estudo com a organela responsável pela fotossíntese, fez com que eles pudessem manusear e se familiarizar com os processos celulares. O rendimento vai além do que se espera quando a ludicidade é abordada empregando modelos lúdicos, pois sensibilizam e mobilizam os estudantes a participarem e interagirem para a construção do conhecimento. Além de facilitar a compreensão de estruturas e conceitos complexos da Biologia, como verificamos no entendimento do processo da fotossíntese.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.