PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL PARA SERVIDORES TÉCNICOS ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

Luciana de Mello Viana, Susane Graup Do Rego, Victor Novo Tentardini

Resumo


A Ginástica Laboral (GL) consiste em um programa de exercícios estruturados e dinamizados para serem realizados no próprio local de trabalho durante o expediente. Apesar da importância da GL no ambiente de trabalho, a desatenção por parte das corporações em relação a esta atividade faz com que a incidência de afastamentos por Lesões por Esforço Repetitivo ou por Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho aumente entre os trabalhadores, sendo que estas estão diretamente relacionadas ao índice de absenteísmo e a redução da produtividade, pois as dores incidem principalmente sobre a região cervical, ombro, punho e lombar, acarretando mais custos às empresas ou profissionais liberais. Neste cenário surgiu em 2016 o projeto Ginástica Laboral para Servidores (GILABS), desenvolvido com o intuito de promover a saúde, minimizar os riscos de doenças ocupacionais e buscar a humanização do ambiente de trabalho dos servidores Técnicos em Assuntos Educacioda UNIPAMPA. Sendo assim, este trabalho tem por objetivo apresentar um relato de experiência sobre as atividades desenvolvidas pelo GILABS no campus Uruguaiana. O projeto GILABS está no seu segundo ano de execução, ocorrendo no Campus Uruguaiana da Universidade Federal do Pampa, onde, atualmente, são atendidos 12 setores distintos. As práticas acontecem quatro dias por semana com duração entre 10 e 15 minutos. Nestes encontros utiliza-se a GL Compensatória ou de Pausa que consistem em uma ginástica realizada durante a jornada de trabalho que fornece uma pausa entre as atividades e compensa os esforços repetitivos, além de aliviar a sobrecarga das estruturas e posturas mais adotadas. Os participantes passam por avaliações periódicas, visando acompanhar o perfil de saúde dos mesmos. Estes levantamentos permitiram coletar informações sobre: dor corporal, índice de massa corporal, relação cintura quadril e pressão arterial. Participam atualmente do projeto 33 servidores, com média de idade de 36,2 (±7,3) anos de ambos os sexos. Entre os participantes do projeto, apenas 15% não relatam dor durante a jornada de trabalho ou com movimentos relacionados à mesma. Contudo, por meio do relato dos servidores, a participação no projeto tem proporcionado uma melhora no bem-estar dos trabalhadores, além uma melhora na conscientização corporal e social. Portanto, espera-se que o projeto ganhe forças e venha atrair e beneficiar outros servidores do campus.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.