PROMOVENDO EDUCAÇÃO EM SAÚDE REPRODUTIVA

Tales Gabriel da Costa, Paulo Emilio Botura Ferreira, Julia Lazzari Rizzi, Lucieli Dutra Jaques, Priscila Silva das Neves, Thábata Magnani Ferreira

Resumo


O período da adolescência comporta em si diversas transformações sociais, emocionais, corporais e cognitivas, especialmente relacionadas à maturação sexual, a busca da identidade adulta e autonomização frente aos pais, que tornam esses jovens susceptíveis a uma série de agravos à saúde. Apesar da ampla divulgação sobre as formas de prevenção das DST/AIDS desenvolvidas no Brasil, muitos jovens ainda não adotam tais práticas, o que aponta uma dissociação entre o acesso à informação e a transformação desse saber em práticas no cotidiano dos adolescentes. Sendo assim, o objetivo deste trabalho é proporcionar um espaço adequado e seguro para desconstruir inverdades e construir, nos escolares, um conhecimento sólido e prático acerca de assuntos vitais para o seu desenvolvimento, tais como a morfofisiologia da reprodução e a saúde reprodutiva. Além disso, visa empoderá-los ao utilizar uma estratégia de ensino-aprendizagem que propicie participação ativa dos escolares durante as oficinas, o que não só aprimora a passagem de informações, mas também as torna mais palpáveis ao imaginário do adolescente e, portanto, mais fáceis de serem transformadas em práticas cotidianas.Caracteriza-se como um projeto de extensão com abordagens quantitativa e qualitativa. Será realizado em dois colégios públicos do município de Uruguaiana e o público alvo consistirá em 200 escolares que cursam o segundo ano do ensino médio, sendo respeitado o limite máximo de 100 vagas por colégio. As intervenções serão realizadas durante o mês de Novembro de 2017, em dois encontros de 4 horas/aula por turma. O primeiro focará nos aspectos morfofisiológicos da reprodução e serão abordados na forma de aulas teórico-práticas com uso de peças anatômicas e lâminas histológicas visualizadas através de microscópio óptico. O segundo abordará temas relacionados à saúde reprodutiva na forma de discussões teórico-expositivas e dinâmicas interativas. Após a finalização do estudo os extensionistas entregarão para os participantes da pesquisa, para a direção e para os professores um relatório sobre os principais resultados e informações do estudo. Estas informações poderão auxiliar no planejamento, execução, acompanhamento e melhoria das aulas, visando ampliar a apropriação dos conhecimentos científicos por parte dos alunos, minimizando dificuldades na relação ensino-aprendizagem e otimizando o ensino de ciências morfológicas nas escolas públicas do município de Uruguaiana (RS).

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.