Sociabilidade de Idosos

Silvia Pereira Da Silva Trindade, Jonas Anderson Simoes Das Neves, Elen Caroline de Matos Amador

Resumo


Atualmente, o Brasil tem como desafio enfrentar as transformações que estão
ocorrendo em seu perfil etário, pois estão aumentando o numero de pessoas idosas
rapidamente, com o crescente aumento da expectativa de vida. Nesta perspectiva, construir uma velhice superior a cada geração consiste em
proporcionar uma melhor qualidade de vida, proporcionando bem-estar, conforto,
comodidade, satisfação e, acima de tudo, saúde para o idoso, porque, afinal, o maior
desafio não é alcançar a longevidade, mas sim alcançá-la com qualidade de vida.
Os vínculos afetivos que os idosos constroem no decorrer da vida, muitas das
vezes, são formados primeiramente pelo grupo familiar e por grandes amizades na
comunidade onde moram. Sendo assim, essas relações fornecem uma sensação de
pertencimento ao grupo social, este fator tem sido caracterizado como aspecto
indispensável para um envelhecimento com qualidade de vida. Esses laços de apoio
ajudam os idosos no decorrer do seu processo de envelhecimento, proporcionando
maior independência, bem-estar, saúde e autonomia. Esse trabalho tem como objetivo apresentar os primeiros resultados do
projeto de extensão cozinhando com história: o lugar dos alimentos tradicionais no
prato dos itaquienses, a partir do qual são desenvolvidas visitas a um lar que
atende idosos no município, executando-se um conjunto de atividades de trocas de
saberes em torno das práticas alimentares tradicionais, bem como fomentando a
criação de espaços de sociabilidade para os idosos, gerada a partir das visitas. O projeto de extensão realiza visitas regulares a instituição que atende os
idosos da cidade de Itaqui/RS, uma das metas do projeto e a socialização entre grupos de convivência de
idosos, envolvendo formas de convivência, incentivando o trabalho coletivo com
atividades de aproximação, desenvolvendo habilidades nas relações interpessoais,
sentindo prazer de conversar, trocar, convívio e experiência. Executando atividades
que permitem adquirir novos conhecimentos sobre alimentos tradicionais,
possibilitando a troca de experiência e estabelecendo vínculos de amizade,
partilhando preocupações e sentimentos. Transfonando histórias individuais em
historias coletivas. os grupos de convivência incentivam o sujeito a
adquirir maior autonomia, melhoram sua qualidade de vida, sua autoestima, senso
de humor e promovem sua inclusão social. A solidão social pode desencadear
consequências no comportamento psicossocial, como medo, ansiedade e
depressão. Assim, destaca-se como dimensão fundamental ao projeto, de um lado, a constituição de um espaço de sociabilidade para os idosos e, de outro lado, de um
espaço de aprendizado. Ao longo da execução deste projeto pode-se concluir que grupos de
convivência e socialização auxiliam na melhoria de vida dos idosos. Sendo assim,
destaca-se a importância da criação de grupos de convivência para idosos, sendo
que os mesmos devem ser difundidos e implantados, a fim de contribuir para uma
vida com mais autonomia e independência funcional, refletindo para a melhoria na
qualidade de vida e melhor condição emocional do idoso.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.