ESTUDO SOBRE BULLYING ENTRE ESTUDANTES DE TERCEIROS ANOS EM UMA ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO BÁSICA

Silvana Silveira Coelho, Alice Fontana Belinazo, Manfredo Horner, Rosmari Horner, Roberta Filipini Rampelotto, Vinícius Victor Lorenzoni

Resumo


A escola é considerada um local onde ocorrem os momentos mais importantes aos adolescentes quando se trata de trocas de conhecimentos, experiências e integração integração social. Porém, o bullying tem se tornado frequente no ambiente escolar sendo evidenciado por expressões comportamentais agressivas de um estudante ou um grupo de estudantes, para com outro indivíduo de forma recorrente e proposital sendo proveniente de relações desiguais entre vítima e agressor. Outra categoria do bullying é o cyberbullying, o qual se encontra em constante aumento com o passar do tempo e com a modernização tecnológica, sendo realizado através da internet por meio de redes sociais, websites, blogs entre outros envolvem ações ofensivas e humilhantes para com a vítima. O objetivo deste trabalho foi realizar um estudo de dados obtidos a partir de questionários sobre bullying aplicados entre estudantes de terceiros anos de uma Escola Estadual de Educação Básica localizada em um município do centro do estado do Rio Grande do Sul no primeiro semestre de 2017. O estudo transcorreu durante o primeiro semestre de 2017, com 46 adolescentes de ambos os sexos, devidamente matriculados na referida escola e que concordaram em participar da pesquisa. O questionário foi elaborado, composto por variáveis sociodemográficas e comportamentais enfocando o tema bullying, sendo este instrumento aplicado em sala de aula. Após, os questionários foram recolhidos, e os dados contabilizados para posterior avaliação dos dados. O presente estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), sob CAAE nº 38850614.4.0000.5346. Através dos resultados obtidos, pode-se observar que dos 46 estudantes que responderam ao questionário 69,56% já vivenciaram alguma forma de bullying, sendo que 39,13% já o praticaram. Destes, 61,11% se arrependeram do ato. Quando questionados sobre os tipos de ações existentes, os estudantes responderam que os principais eram as piadas e apelidos maldosos. Os locais que mais ocorrem estas práticas, segundo os estudantes, são na escola (100%) e no círculo de amigos (34,78%). Ainda, 93,47% pensam que o praticante de bullying pode ter sido vítima de algum trauma e por este motivo o realizou. Todos os alunos acreditam ser importante trabalhar este tema na escola através de rodas de conversa, palestras e debates. Diante destes resultados, conclui-se que os atos de bullying estão cada vez mais frequentes, principalmente no âmbito escolar. Fato preocupante, pois estes comportamentos ferem diversos princípios, como os constitucionais e de respeito à integridade humana. Assim, medidas preventivas de forma a minimizar este quadro são imprescindíveis. Para que isto ocorra, é necessário a participação de toda equipe das instituições escolares juntamente com a integração dos alunos.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.