ASSISTENCIA PARASITOLÓGICA PARA PRODUTORES DE DOM PEDRITO E REGIÃO, RS

Mitálli Ribas, Anelise Afonso Martins, Marcele Ribeiro Corrêa, Lourdes Caruccio Hirschmann Prates, Cintia Rosa, Larissa Picada Brum

Resumo


A verminose gastrintestinal tem uma grande importância, pois ocasiona sérios prejuízos a cadeia produtiva, os parasitas causam menor desenvolvimento corporal, diminuição na produção de lã, carne, leite e desempenho reprodutivo, podendo até mesmo levar o animal a óbito. Neste contexto, o presente trabalho tem por objetivo descrever as atividades realizadas dentro do projeto de extensão de Assistência Parasitológica para Produtores Rurais de Dom Pedrito, RS oferecido pela Universidade Federal do Pampa campus Dom Pedrito em um período de 3 anos. O trabalho foi realizado inicialmente através do cadastramento de propriedades rurais da região de Dom Pedrito, RS, que tivessem interesse nas análises oferecidas pelo laboratório de parasitologia. Foram feitos exames parasitológicos de fezes, através das técnicas de contagem de ovos por gramas de fezes (OPG) e coprocultura, para isto as amostras fecais recebidas foram coletadas individualmente, direto da ampola retal dos animais, identificadas e acondicionadas em caixas isotérmicas com gelo, onde posteriormente, foram encaminhadas ao laboratório para processamento, em um período máximo de 48 horas. No período de março de 2014 a agosto de 2017 foram cadastradas 71 propriedades rurais da região da campanha gaúcha, propriedades estas, de criação extensiva e semi-extensiva, produtoras de ovinos, bovinos e equinos de forma isolada ou com associação de mais de uma espécie animal. Foram realizadas 2819 análises de amostras de fezes, e destas observou-se que 77,3% (2181) eram de ovinos, 22,2% (630) de bovinos e 0,6% (18) de equinos. Neste estudo, os principais gêneros de parasitas gastrointestinal encontrados nas coproculturas ao longo do período
de execução do projeto foram Haemonchus spp (51%), seguido por Trichostrongyllus spp. (29%), Strogyloides spp.(12%), Cooperia spp. (3%),
Ostertagia spp. (3%)., Bonostomum spp. (1%), e Oesophagostomum spp.(1%),em bovinos e ovinos, enquanto, que em equinos foram Strongylus spp e
Ciatostomíneos spp. Com o projeto de extensão pode-se concluir que o maior número de amostras recebidas para análise parasitológica foi da espécie bovina o que retrata a preocupação dos produtores e também sobre a realidade quanto ao problema de parasitose e resistência anti-helmíntica nos rebanhos ovinos da região. Além disso, através deste projeto, buscou-se levar a informação aos produtores da região quanto a necessidade de realização de exames periódicos parasitológicos, para efetivo controle das parasitoses nos rebanhos, verificando a partir desses exames a necessidade de vermifugação dos animais, além de avaliar a eficácia dos produtos
utilizados nas propriedades. A partir disso, foi possível auxiliar no
desenvolvimento da cadeia produtiva dessa região, trazendo conhecimento aos produtores e agregando valor em cada propriedade. No entanto, é preciso ainda uma maior divulgação do projeto de extensão, principalmente, com produtores de bovinos e equinos, para que mais propriedades sejam atendidas, a fim de contribuir para minimizar os problemas da parasitose nessas espécies.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.