ESTRATÉGIAS PARA O REAPROVEITAMENTO INTEGRAL DOS ALIMENTOS ADQUIRIDOS PELO PNAE NUMA ESCOLA ESTADUAL DE ITAQUI

Zaira Guido, Jonas Anderson Simões das Neves

Resumo


A produção diária de alimentos no mundo poderia alimentar toda a população do planeta, porém a fome ainda causa mortes. Um dos fatores mais relevantes nesta situação é o desperdício de partes menos nobres, principalmente, de verduras e de legumes. Diante disso, o presente trabalho propôs-se a analisar, de forma qualitativa, as estratégias utilizadas para o reaproveitamento integral dos alimentos adquiridos pelo PNAE em uma escola da rede estadual do município de Itaqui-RS. O presente estudo, de base qualitativa, foi baseado em pesquisas de material bibliográfico, em observações feitas a campo e em entrevistas, de tipo semi-estruturadas, com gestores e operadores do programa, numa escola da rede estadual de ensino do Rio Grande do Sul. Desta forma, foram entrevistadas uma merendeira da escola que atua diretamente na operacionalização do programa, apesar de não ter sido orientada de como fazer, mas criou critérios de avaliação próprios e a diretora de uma escola, que atua no gerenciamento do programa na rede estadual, que gerem diretamente a aquisição dos alimentos em suas unidades educacionais.As referidas entrevistas foram gravadas, mediante autorização dos entrevistados, para posterior transcrição, material esse, que juntamente com as observações feitas a campo, foi analisado e discutido com base na literatura acerca do tema. Na rede estadual do Rio Grande do Sul, a maleabilidade da operacionalização provoca a gestão descentralizada, os recursos são repassados às escolas, que assumem a responsabilidade das compras, recebimento e preparo dos alimentos. Apesar de a legislação orientar a aquisição de alimentos regionais e a definição do cardápio de acordo com cada cultura alimentar, verificou-se que não há uma avaliação dos cardápios, que ficam totalmente a cargo das funcionarias do colégio.O reaproveitamento é apresentado como alternativa para evitar o desperdício e a não aceitação dos alunos. Consiste em utilizar todo e qualquer resíduo de alimento em que seja possível eliminar os microorganismos patogênicos. Podendo ser utilizado tanto para suplementação da nutrição como para diminuir os gastos com novos alimentos. A referida escola apresentou grande preocupação em cumprir a Lei nº 11.947, de 2009, bem como com a qualidade do produto entregueA operadora do programa ressalta que continuará tentando fazer com que os alunos provem os alimentos oriundos de reaproveitamente, pois reconhece que os recursos são escassos, bem como que essa é uma alternativa para garantir a alimentação dos estudantes.O reaproveitamento integral de alimentos, além de evitar o caminho do lixo, também é uma prática de saúde. Outras alternativas para o desperdício de alimentos poderiam ser o uso dos alimentos como adubo em uma horta escolar ou comunitária, que poderia agregar a comunidade e a escola, de forma que os pais poderiam contribuir com o trabalho e, até mesmo, levar para casa para familiarizar os filhos com os vegetais; o incentivo do estado aos produtores para produzirem mais variedade de frutas e vegetais e, claro, a presença da nutricionista, que criaria estratégias de receitas criativas para serem apresentadas aos alunos.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.