O PARADOXO DA FORMAÇÃO INICIAL CONTINUADA E A PRÁXIS DOCENTE.

Alex Sandro Gomes Leão, Edward Frederico Castro Pessano

Resumo


Nossa proposta faz parte de um projeto de pesquisa que esta sendo realizada com um grupo de professores do ensino básico na cidade de Itaqui-RS, e que busca a partir de um curso de formação, trabalhar com diferentes Metodologias de Ensino da Matemática.
Para nós, ensinar é um desafio que perturba todos que pensam a educação, em partes por que (...) não existe uma receita pronta que se aplique, com sucesso, em toda e qualquer situação(Geweher, et al, 2016), pois cada ser é único e o que interessa a um, pode não interessar a outro.
O processo de ensinar e aprender torna-se então complexo e intrigante. Complexo, pois o professor precisa em cada situação, criar estratégias diferentes, e intrigante, por que por mais que assim o faça, nem sempre suas estratégias surtirão o efeito desejado. Recentemente pesquisas realizadas por nós mostram que o professor desenvolve seu trabalho em sala de aula procurando seguir com rigor o que lhe foi ensinado em sua formação inicial.
Cabe então nos questionar: o que lhe foi ensinado em sua formação inicial foi suficiente para desencadear diferentes tipos de estratégias metodológicas a fim de estimular cada ser envolvido na busca do pensar?
Como formador de futuros professores, entendemos que nem sempre essa situação se faz possível, não para todos alunos, pois como já afirmamos acima, cada ser é único. Sendo assim, a formação continuada se faz primordial no processo de aprimoramento docente, podendo proporcionar momentos de reflexões e re/construções de novos processos de ensino.
Cursos de formação continuada de professores não são novidade. Vários são os autores que apresentam discussões sobre esta temática e ressaltam sua relevância para os profissionais do ensino, Candau (1997), Nascimento (2000), Pimenta (2002), entre outros.
A formação continuada de professores tem sido entendida como um processo permanente de aperfeiçoamento dos saberes necessários à atividade profissional, realizado após a formação inicial, com o objetivo de assegurar um ensino de melhor qualidade aos educandos (CHIMENTÃO, 2009).
Nesta proposta buscamos compreender se A formação continuada de professores contribui para a mudança da prática docente e para a melhoria dos processos de ensino?
No entanto os rumos de nossa investigação inicialmente nos permitem concluir que a formação inicial ainda é mais significante e duradoura para a constituição dos profissionais da educação, do que a formação continuada, a qual praticamente não tem colaborado para a transformação da prática docente, mesmo esta, sendo considerada positiva pelos educadores.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.