TRABALHO DOMÉSTICO NÃO REMUNERADO: A QUESTÃO DO (NÃO) RECONHECIMENTO INDIVIDUAL, FAMILIAR E SOCIAL

Marcos Vinicius Dalagostini Bidarte, Carolina Freddo Fleck, Camila dos Santos Pinto

Resumo


A presente pesquisa possui como objetivo analisar aspectos relacionados ao (não) reconhecimento do trabalho doméstico não remunerado pelos sujeitos profissionais do lar no município gaúcho de Santana do Livramento, Brasil. Foram entrevistadas nove mulheres através da técnica bola de neve e utilizou-se análise de conteúdo para tratar dos dados coletados. Os resultados demonstram que a maioria das mulheres entrevistadas se reconhece como profissional do lar e afirma ser reconhecida por suas famílias, ainda que não pela sociedade. Em contrapartida, há entrevistadas que não se reconhecem como profissionais do lar e sentem que suas famílias e a sociedade também não as reconhecem. Devido ao trabalho doméstico ser historicamente atribuição feminina, sua desvalorização deriva do papel inferior a que foi relegada a mulher no passado. Por esta razão, faz-se necessária discussões acadêmicas, sociais, políticas, entre outras, sobre as formas de reconhecer o papel da mulher na esfera privada.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.