PROBLEMATIZANDO PRÁTICAS DE ENSINO DA EDUCAÇÃO INFANTIL SOB OS OLHARES MÚLTIPLOS E SÍNGULARES DAS CRIANÇAS

Semíramis Martins Corrêa, Dulce Mari da Silva Voss

Resumo


Ao passar dos anos em que trabalhei com a Educação Infantil, venho refletindo sobre os diferentes modos de viver a infância a partir das próprias crianças num contexto coletivo em que interagem entre si e com os adultos.Buscando romper com essa concepção, de um trabalho centrado no eu educador, que sempre propõe e conduz projetos, atividades, brincadeiras, etc, procurei desenvolver meu trabalho pedagógico na Educação Infantil orientado pelo olhar das crianças na sua singularidade. Entendo que o processo ensino-aprendizagemacontece como elemento organizador do cotidiano a partir das indagações e curiosidades trazidas pelos (as) educandos (as). Com isso, foi possível problematizar as práticas de ensino com as múltiplas infâncias, sustentado por um planejamento que parte da organização de propostas, registros e documentações que refletem as histórias e leituras de mundo. Essas propostas estão inspiradas na filosofia de educação para a primeira infância de Reggio Emilia. Neste trabalho busco conhecer, significar, compreender e desenvolver a reflexão em torno da minha atuação pedagógica na educação infantil, partindo da pesquisa documental dos planejamentos e registros dos percursos de ensino-aprendizagem desenvolvidos no período de 2016 à 2017 quando trabalhei com crianças de duas turmas distintas com idades entre 4 e 5 anos. Logo, a metodologia está baseada na abordagem qualitativa, sendo o ambiente natural das experiências vividas com as crianças a fonte direta para a coleta e análise de dados.Aponto que é possível ver as crianças como sujeitos potentes, capazes se serem donos de suas próprias experiências, cabendo ao adulto professor tomar a posição de um mediador e observador, ou ainda, como um sujeito que analisa, discursa, mas não detém o controle de uma prática como um todo.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.