OTIMIZAÇÃO DO PROTOCOLO DE EXTRAÇÃO DE DNA DE GUAJUVIRA

Ana Claudia Schllemer dos Santos, Paula Juliane Barbosa de Oliveira, Isadora Bischoff Nunes, Lucas da Silva Domingues, Cleverson Busso, Joel Donazzolo

Resumo


As espécies florestais nativas ainda carecem de estudos quanto a sua caracterização molecular, o que se sabe sobre elas, geralmente são apenas características botânicas e dendrológicas, sendo assim importante, a compreensão dos mecanismos que regulam as populações desta espécie como forma de orientar estratégias para conservação da biodiversidade, e para os diversos usos da espécie. Dessa forma, o objetivo desse estudo foi extrair o DNA da espécie florestal Cordia americana, testando-se diferentes lavagens, a fim de quantificar o seu material vegetal. O trabalho foi desenvolvido no laboratório de Biologia Molecular da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campus Dois Vizinhos, Paraná. O material vegetal utilizado foi coletado de um dos exemplares de Cordia amercicana disponíveis no Campus. O DNA foi extraído usando algumas modificações do protocolo de extração da Wizard® Genomic DNA Purification Kit, foram adicionados 300 mg de folhas jovens de Cordia americana previamente maceradas em nitrogênio líquido. A quantificação do DNA foi feita em gel de agarose 1%, 80V por 60 minutos, e visualizada com auxílio de transiluminador UV, comparando a intensidade da banda obtida com as bandas pré-estabelecidas do Ladder utilizado (100 pb Ludwig Biotec). Na primeira e a segunda lavagem do material obteve-se uma amostra de mais de 1000pb, enquanto que a amostra com três lavagens não apresentou banda alguma. Diante dos resultados obtidos no trabalho, recomenda-se o uso de duas lavagens com etanol 70% para a obtenção de amostras de DNA com o mínimo de contaminantes e que fornecem bom subsídios para futuras amplificações.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.