CARACTERIZAÇÃO FOTOSSÍNTETICA EM PLANTAS DE CEDRO SUBMETIDAS À ALUMÍNIO E SILÍCIO

Jéssica Patrícia Oliveira de Mattos, Antônio Marcos Zuliani Lunkes, Luciane Almeri Tabaldi, Mariana de Oliveira Todeschini, Natalie Bencke Ramos, Daniele Bernardy

Resumo


A região sul do Brasil apresenta solos ácidos, sendo que muitos destes solos são classificados como alumínicos e alíticos, ressaltando a ocorrência de altos teores de alumínio (Al). Devido as condições tóxicas que as plantas encontram em solos ácidos, algumas alternativas podem ser investigadas a fim de solucionar esta problemática, tais como a utilização de outros elementos que possam atenuar os danos ocasionados por elementos fitotóxicos.
O silício (Si) é o segundo elemento mais abundante da crosta terrestre e está associado a vários efeitos benéficos para as plantas. Apresenta a capacidade de aumentar a tolerância contra diferentes estresses tais como salinidade, seca e toxicidade por metais.
Cedrela fissilis Vell. é conhecida popularmente como cedro, é nativa de vários países, inclusive o Brasil e o estado do Rio Grande do Sul. É uma espécie utilizada em compensados, esculturas, molduras, móveis em geral, na construção civil, naval e aeronáutica. As árvores apresentam valor ornamental, paisagístico e na recomposição de áreas degradadas.
Sendo assim, o objetivo deste estudo foi caracterizar os parâmetros fotossintéticos em plantas de Cedrela fissilis expostas a diferentes concentrações de Al e Si.
Os experimentos foram realizados na casa de vegetação e nos Laboratórios de Biotecnologia Vegetal e de Bioquímica de Plantas do Departamento de Biologia, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS. Sementes de Cedrela fissilis foram semeadas e após a germinação e crescimento inicial das mudas, plantas homogêneas, com cerca de 10 cm de altura foram transferidas para sistema hidropônico. Após cinco dias de aclimatação nesse sistema, as plantas foram transferidas para uma nova solução nutritiva, sem P, na qual os tratamentos foram aplicados, sendo eles: T1: 0 Al + 0 Si; T2: 0 Al + 1,0 Si; T3: 0 Al + 2,5 Si; T4: 50 Al + 0 Si; T5: 50 Al + 1,0 Si; T6: 50 Al + 2,5 Si; T7: 100 Al + 0 Si; T8: 100 Al + 1,0 Si; T9: 100 Al + 2,5 Si.
Durante o experimento, foram determinados os parâmetros fotossintéticos na quarta folha completamente expandida de quatro plantas por repetição. Foram determinadas, a taxa transpiratória (Trmmol - mmol H2O m-2 s-1), a eficiência do uso da água (EUA - mol CO2 mol H2O-1) e a eficiência de carboxilação da Rubisco (A/Ci) obtida pela relação entre quantidade de CO2 fixado pela fotossíntese e concentração interna de CO2.
As análises de taxa transpiratória, eficiência do uso da água e eficiência de carboxilação da rubisco não apresentaram diferenças estatisticamente significativas.
Através das análises realizadas neste estudo considera-se que a espécie Cedrela fissilis apresenta resistência ao alumínio, pois, mesmo na presença de um elemento fitotóxico, exibiu um desempenho eficiente de taxa transpiratória, uso da água e de carboxilação da rubisco. Portanto, trata-se de uma espécie florestal resistente ao alumínio com capacidade de se desenvolver em solos ácidos. Estudos acerca dos mecanismos de resistência ao alumínio de Cedrela fissilis podem ser desenvolvidos, para compreender as estratégias que esta planta utiliza e quais os genes que estão envolvidos nesse processo.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.