TROMBOCITOPENIA​ ​TRANSITÓRIA​ ​DURANTE​ ​TERAPIA​ ​COM CLOPIDOGREL​ ​EM​ ​GATO:​ ​RELATO​ ​DE​ ​CASO

Karen Guzmán Beltrán, João Paulo da Exaltação Pascon

Resumo


Antiplaquetários como o clopidogrel são amplamente utilizados para prevenir a ocorrência de tromboembolismo aórtico em gatos com cardiomiopatias. Esse fármaco inibe a agregação plaquetária primária e secundária, resultando em um efeito inibidor de plaquetas, com pouca ou nenhuma influência sobre a contagem total em animais. objetivamos relatar a ocorrência de trombocitopenia transitória em um felino, durante a terapia com clopidogrel. Para tanto foram avaliadas cinco amostras sanguíneas (zero, 24 horas, 7 dias, 3 e 6 meses) de um felino macho, da raça Persa, com cardiomiopatia hipertrófica primária. No dia zero o paciente já estava em terapia com clopidogrel há 90 dias e apresentava intensa trombocitopenia (26.000/ µL). Após redução da frequência de administração do fármaco pela metade, a contagem de plaquetas continuou a aumentar, atingindo 210.000/ µL aos três meses, mas voltando a valores baixos (76.000/ µL) após 6 meses. Portanto, embora a etiologia precisa da trombocitopenia não tenha sido descoberta, o comportamento do número de plaquetas após adaptação da posologia aventam a possibilidade do envolvimento do clopidogrel nesse processo, necessitando de novos estudos para avaliar essa hipótese.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.