RELATO DE CASO: HEMIMELIA TIBIAL E POLIDACTILIA EM CORDEIRO

Gabriela Döwich, Susane Werle Dill, Geórgia Camargo Góss, Othon Dalla Colletta Altermann, Bruno Romero, Claudia Acosta Duarte

Resumo


Defeitos congênitos são anormalidades estruturais ou funcionais presentes ao nascimento, que acometem os sistemas parcial ou totalmente. Apresentam distribuição mundial e podem ser a causa de aborto ou morte neonatal, gerando perdas reprodutivas importantes. O esqueleto apendicular dos animais pode ser acometido por uma alteração congênita chamada agenesia ou hemimelia, anomalia rara na qual os ossos podem estar total ou parcialmente ausentes, sendo acometidos de forma unilateral ou bilateral. Além disso a polidactilia, outra mal formação no esqueleto apendicular, é também relatada em várias espécies podendo ocorrer em um ou mais membros, sendo os torácicos mais comumente acometidos. Possivelmente, na ovinocultura os cordeiros nascidos com malformações congênitas não são encaminhados para diagnóstico laboratorial, principalmente se o percentual de mortalidade perinatal está dentro do limite esperado, que é em torno de 10% nas condições de criação de ovinos na região Sul do estado. Isso acarreta na falta de informação sobre a ocorrência destas anomalias e pouco conhecimento sobre sua real importância e impacto na economia. Tendo em vista os pontos citados anteriormente, o presente trabalho tem por objetivo descrever a ocorrência de hemimelia tibial e polidactilia em uma cordeira mestiça da raça Merino nascida na cidade de Santana do Livramento no estado do Rio Grande do Sul. Foi realizada a avaliação visual da cordeira e, posteriormente, o exame radiográfico do membro pélvico esquerdo em projeções crânio caudal e médio lateral, cujo mesmo apresentava alterações anatômicas. Efetuou-se o mesmo procedimento no membro contralateral para fins comparativos. A ausência da tíbia esquerda e presença da fíbula hipoplásica, como também a apresentação do dígito supranumerário levou ao diagnóstico de hemimelia tibial e polidactilia, respectivamente. Na polidactilia foi possível perceber metatarso, primeira, segunda e terceira falange supranumerários. Existem relatos de hemimelia tibial unilateral e/ou bilateral em bovinos e em cabras há relatos de hemimelia em rádio. Porém na espécie ovina não se encontram relatos sobre a ocorrência de hemimelia tibial, possivelmente pelo baixo número de ocorrência e/ou a falta de envio destes animais para serem avaliados adequadamente. Os defeitos congênitos podem acarretar em significativas perdas produtivas. É de extrema importância a conscientização dos produtores para que relatem os casos ocorridos na propriedade para possibilitar a busca dos fatores relacionados e tentar eliminar a causa desencadeante destas alterações.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.