A AGROECOLOGIA NO BIOMA PAMPA: ESTUDO NOS ASSENTAMENTOS DO MUNICÍPIO DE SÃO GABRIEL - RS

Leandro Marques, Jefferson Marcal Da Rocha, Fernanda dos Santos Isa, Alan Castro Souza, Rafael Cabral Cruz, Fernanda Correa Gewer

Resumo


Este estudo busca compreender as práticas ambientais envolvendo as variáveis socioambiental e econômica em três Projetos de Assentamentos (P.A.) no município de São Gabriel/RS. Realizou-se uma análise, através de dados fornecidos pelo INCRA, que estabelecem a quantia anual de intenção de plantação de arroz em lavouras convencionais e orgânicas em três assentamentos do município. A partir do referencial teórico sobre agroecologia, pretendeu-se compreender qual a importância da produção agroecológica na promoção da sustentabilidade socioeconômica e ambiental nos assentamentos da Metade Sul (MS) do RS, considerando que este é formado pelo bioma Pampa, que possuí uma riquíssima biodiversidade ecológica com espécies endêmicas e um dos mais ameaçados biomas do Brasil. Na história da MS vê-se a crença de que este bioma era infértil para as atividades agrícolas, contribuindo para a construção de uma cultura de pecuária que permaneceu até a metade do século XX, quando começaram os cultivos de grãos, em especial de arroz e soja, estas seguindo a dinâmica exigida pela modernização conservadora que passou a correlacionar a agricultura com a indústria, em um processo de produção insustentável, principalmente no longo prazo. No século XXI o Bioma Pampa é um dos biomas brasileiros mais afetados com os desequilíbrios ecológicos. Considera-se que uma agricultura eficaz deve manter a produtividade e ao mesmo tempo serem sustentáveis sob o ponto de vista da conservação dos recursos naturais, buscando satisfazer os três pilares da sustentabilidade: o econômico, o social e o ambiental. Assim, prática agroecológicas surge como uma atividade que reúne os conhecimentos acerca de ecologia, da economia e da justiça social. Dito isto, buscou-se através da análise de três P.A. no município de São Gabriel um indicador de sustentabilidade para a MS. Já que os P.A. são políticas públicas de base ecológica e com agentes transformadores, os pequenos agricultores familiares, que em tese possuem uma visão mais ecológica dos recursos naturais. Através de dados de produção de arroz em lavouras convencionais e orgânicas nestes três P.A. no decorrer dos anos de 2011 a 2017, formulou-se gráficos para representação destas atividades. Um para cada assentamento e um quarto para mostrar uma possível ascensão dos comportamentos ecológicos na MS, já que se entende que em muitos casos há um embate entre estratégias de sobrevivência exigindo ganhos econômicos mais imediatos, e as ideias de uma produção ecologicamente adequada. Pelas análises realizadas nos assentamentos do município de São Gabriel, a agroecologia é utilizada por produtores de arroz orgânico e hoje é uma prática promissora, tanto para manter a biodiversidade ecológica do bioma, como se tornar rendável economicamente. Percebe-se que esta alternativa se encontra em constante crescimento não só na Metade Sul, mas em outras iniciativas de lavouras agroecológicas de diversos produtos agrícolas e em outros assentamentos de reforma agrária do RS.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.