AVALIAÇÃO ESCOLAR: UMA REFLEXÃO SOBRE A PRÁTICA DOCENTE

Rosa Maria Martins Carvalho Dutra, Ana Cristina Rodrigues, Debora Tatiani Portilho Sanes

Resumo


A maioria das escolas do Brasil tem vivenciado uma avaliação que prima pelo quantitativo e descuida as questões envolvendo o qualitativo, embasados em Projetos Políticos Pedagógicos carentes de uma atenção maior envolvendo esse assunto, muitas vezes desatualizados ou não condizentes com a realidade escolar, não possibilitando a concepção emancipatória do aluno. Sob essa análise, a organização escolar legitima o fracasso escolar, pois a avaliação não acompanha o processo de ensino-aprendizagem do aluno.
A LDB assegura a avaliação numa perspectiva qualitativa, prevendo a necessidade de uma ação diagnóstica no processo avaliativo. Essa medida implicará em resultados positivos permitindo a possibilidade de identificar as dificuldades e oferecer as intervenções necessárias para o desenvolvimento da aprendizagem do aluno. Sendo assim, este trabalho tem por objetivo oportunizar a reflexão em torno da avaliação escolar e o tema apresentado discute a prática da avaliação e sua relação com a educação docente. Essa discussão é importante, pois os professores têm cada vez mais dificuldades em avaliar os alunos de forma qualitativa. É necessário provocar uma reflexão em torno desse assunto. A própria legislação contempla, em determinadas ocasiões, o aspecto quantitativo e em outra o qualitativo. Considera-se que os dois elementos podem se complementar no decorrer do processo ensino-aprendizagem.
A avaliação não deve ser isolada, porém interativa de acordo com a produção do aluno em sala de aula, sendo observados aspectos importantes e não somente através de uma prova, que na verdade não testa conhecimentos, apenas favorece a decoreba, não permitindo a emancipação do sujeito aluno. É importante pensar que ensino e avaliação não são faces de um mesmo lado, um mesmo processo, pensando assim - no final - ou aprovamos nosso aluno ou reprovamos, ou houve aprendizagem ou não, conceito atribuído através que quantificação de notas. Em verdade, esse processo é bem mais complexo, o que existe é uma reconstrução daquele conhecimento que o aluno traz consigo, como bagagem de vida, de histórias, os educadores aperfeiçoam, dão mais sentido a essas aprendizagens.
Diante disso, é interessante avaliar o aluno no início da aprendizagem, uma vez que descobriremos as informações e saberes que ele traz de suas vivências, de suas aprendizagens anteriores, para saber o que ele já constitui como conhecimento. O resultado da avaliação pode, em alguns casos, determinar o sucesso ou o fracasso escolar dos alunos.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.