TRIAZENO, COMPLEXO TRIAZENIDO DE PALÁDIO E SEUS PRECURSORES: ATIVIDADE ANTIBACTERIANA IN VITRO

Roberta Filipini Rampelotto, Rosmari Horner, Vinicius Victor Lorenzoni, Guilherme Alves de Moraes, Maísa Kraulich Tizotti, Manfredo Horner

Resumo


Um dos grandes problemas durante o tratamento das infecções por microrganismos é a resistência bacteriana, a qual tem inviabilizado o uso clínico de diversos agentes antimicrobianos. Esta resistência surge devido ao uso indiscriminado desses agentes, diminuindo assim o conjunto de fármacos disponíveis para o tratamento destas infecções. Por este motivo, a pesquisa de novos compostos com propriedades antibacterianas constitui uma necessidade imediata no campo da medicina. Diante destes desafios, pesquisadores têm em vista o desenvolvimento de substâncias inovadoras. O fato dos Triazenos (TZCs) apresentarem atividade biológica já descrita, tais como antibacteriana, fazendo com que estes compostos se tornassem foco de inúmeros estudos. Assim, o objetivo deste estudo foi avaliar a atividade antibacteriana de cepas American Type Culture Collection (ATCC) e isolados clínicos frente a um complexo TZC (4-Bromofenil-1-feniltriazeno 1-óxido), seu ligante ({(4-Bromofenil-1-feniltriazenido 1-óxido)(N,N-dimetilbenzilamina)Paládio(II)}) e seus precursores DMBA e [Pd(DMBA)(mCl)]2. A atividade antibacteriana foi realizada pelo método convencional da microdiluição em caldo, através da concentração inibitória mínima (CIM) frente a cepas bacterianas padrão de referência ATCC e isolados clínicos de acordo com o Clinical and Laboratory Standards Institute (CLSI, 2016). As cepas padrão utilizadas foram Bacillus cereus ATCC 14579, Enterobacter hormaechei ATCC 700323, Enterococcus casseliflavus ATCC 700327, Enterococcus faecalis ATCC 29212, Enterococcus faecalis ATCC 51299, Escherichia coli ATCC 25922, Escherichia coli ATCC 35218, Klebsiella pneumoniae ATCC 700603, Micrococcus luteus ATCC 7468, Pseudomonas aeruginosa ATCC 27853, Salmonella typhimurium ATCC 14028, Salmonella spp. ATCC 52117, Staphylococcus aureus ATCC 25923, Staphylococcus aureus ATCC 29213, Staphylococcus aureus BAA 1026, Staphylococcus aureus BAA 976, Staphylococcus aureus BAA 977, Staphylococcus epidermidis ATCC 12228. Já os isolados clínicos foram Staphylococcus coagulase negativos isolados de hemoculturas, obtidas no Hospital Universitário de Santa Maria no ano de 2014. O composto, o ligante e seus precursores foram diluídos em etanol na concentração 20.480 μg/ml e após foram realizadas sucessivas diluições nas concentrações de 1.024 μg/mL a 1 μg/mL. As placas contendo os microrganismos e o composto foram incubadas a 35 ± 2 °C por 24 horas (h). A CIM foi determinada visualmente, como a menor concentração que inibiu completamente o crescimento dos microrganismos nos poços de diluição. Cada ensaio foi realizado em duplicata. O presente estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa sob o registro 38850614.4.0000.5346.Os precursores apresentaram CIM≥128μg/ml para todos os microrganismos testados. O composto apresentou boa atividade, com CIM = 64 μg/ml para E. faecalis ATCC 51299 e S. aureus ATCC 25923. Já o ligante, mostrou maior potencial antibacteriano em praticamente todas as cepas quando comparado ao composto e aos precursores, sendo que em alguns isolados clínicos apresentou CIM = 64 μg/ml e em no E. faecalis ATCC 51299, CIM = 32 μg/ml.De acordo com os valores de CIM obtidos podemos inferir que complexar TZCs com metais como o paládio é uma alternativa promissora para aumentar seu potencial. Em vista disso, estudos complementares desses compostos estão sendo realizados por nosso grupo de pesquisa.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.