PREVALÊNCIA DE HIPERTENSÃO ARTERIAL EM ADOLESCENTES DO ENSINO MÉDIO DE URUGUAIANA/RS

Ariadine Rodrigues Barbosa, Susane Graup Do Rego

Resumo


As doenças crônicas não transmissíveis (DNCT) representam uma das principais causas de morbidade e mortalidade no mundo, dentre estas destaca-se a hipertensão arterial sistêmica (HAS). As prevalências de fatores de risco para o desenvolvimento de DCNTs têm aumentado consideravelmente na população adolescente e, desta forma, o Ministério da Saúde criou o Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das DCNT no Brasil para preparar o o país para enfrentar e deter estas doenças, a partir, de ações de prevenção e promoção à saúde. Desta forma, este estudo teve por objetivo analisar a prevalência de hipertensão arterial em adolescentes do ensino médio de Uruguaiana/RS. Participaram 194 alunos matriculados no turno noturno de uma escola de Ensino Médio de Uruguaiana/RS que aceitaram participar voluntariamente do estudo e tiveram autorização para tal. Este estudo faz parte de um macroprojeto intitulado Doenças Crônicas não transmissíveis na adolescência: ações de prevenção e promoção da saúde que tem por objetivo realizar um levantamento do perfil epidemiológico de adolescentes do ensino médio do turno noturno, a fim de identificar as prevalências e desenvolver estratégias de prevenção e promoção da saúde. A pressão arterial foi avaliada por meio de um esfigmomanômetro digital automático marca OMRON HEAL-THCARE® certificado pelo INMETRO. Para classificação da pressão arterial (PA) utilizou-se VI Diretrizes Brasileiras Hipertensão para crianças e adolescentes: Normal (PA < percentil 90), Pré hipertensos (PA entre percentis 90 a 95 ou se PA exceder 120/80 mmHg) e Hipertensos (acima do Percentil 95 mais 5 mmHg), referente a idade e sexo fixada por percentil de estatura. A coleta de dados foi realizada de abril a junho de 2016 pela equipe multiprofissional (Assistente Social, Profissional de Educação Física, Enfermeira, Fisioterapeuta e Nutricionista) do Programa Integrado Multiprofissional em Saúde Coletiva. As avaliações foram organizadas em forma de estações em uma sala disponibilizada pela direção da escola, na qual os alunos eram chamados em trios e cada um passava por um profissional. Para a análise dos dados foi utilizada estática descritiva amparada por medidas de frequências. Os resultados identificaram que 20,1% dos adolescentes avaliados apresentam níveis pressóricos considerados como hipertensão, com frequência de pré-hipertensão e hipertensão superiores no sexo masculino. Ainda, 38,1% dos participantes encontram-se em zona de risco para desenvolvimento da hipertensão. Com base nos resultados foi possível identificar que a prevalência de HAS entre os adolescentes foi elevada, sendo mais expressiva no grupo masculino, indicando a necessidade de ações preventivas e de promoção à saúde, a fim de inserir hábitos saudáveis e modificar o estilo de vida dos mesmos.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.