PERFIL DE SENSIBILIDADE AOS EXTRATOS DE PHYSALIS PUBESCENS DE ISOLADOS DE SPOROTHRIX SPP.

Angélica Aparecida da Costa Güllich, Vanusa Manfredini, Luísa Zuravski, Juliana Mezzomo, Cheila Denise Ottonelli Stopiglia

Resumo


O gênero Physalis pertence à família Solanaceae, onde physa palavra que deriva do grego significa bolha ou bexiga, referindo-se ao cálice que envolve o fruto. A procura por plantas com propriedades antimicrobianas e antifúngicas está em amplo crescimento, como resultado da resistência dos micro-organismos à terapia clínica. Plantas pertencentes ao gênero Physalis são popularmente utilizadas no tratamento de diversas doenças, incluindo aquelas causadas por fungos e bactérias. Com base nos achados da literatura, percebe-se que o gênero Physalis é um gênero promissor no que se refere a novas alternativas terapêuticas. Portanto, o objetivo deste trabalho foi investigar a atividade antifúngica do extrato das folhas e frutos de Physalis pubescens L. frente a isolados de Sporothrix spp. Extratos foram preparados utilizando foram utilizados folhas secas ou frutos frescos de Physalis pubescens. A amostra foi triturada e macerada em etanol 70%, na concentração de 10 g material vegetal para 100 mL de solvente, mantido sob agitação diária durante uma semana e após esse período, os extratos foram filtrados. Esse procedimento foi repetido mais duas vezes para esgotamento da amostra. Posteriormente, os extratos foram levados ao evaporador rotatório a fim de evaporar o solvente utilizado e, em seguida, as amostras foram congelados e, então liofilizadas. Esse trabalho investigou a atividade antifúngica do extrato das folhas e frutos de Physalis pubescens L. frente à Sporothrix spp., através de protocolos conhecidos usando a técnica de microdiluição em caldo, descrita pelo Clinical and Laboratory Standards Institute (CLSI) para fungos filamentosos (M38-A2), foi determinada a Concentração Inibitória Mínima e a Concentração Fungicida Mínima. Extratos das folhas e frutos inibiram Sporothrix schenckii SN, o extrato das folhas também inibiu Sporothrix brasiliensis 8309 e Sporothrix schenckii 67 MRV. Os extratos de Physalis pubescens apresentaram atividade antifúngica para Sporothrix schenckii SN, o qual é um micro-organismo resistente ao itraconazol podendo ser uma alternativa terapêutica promissora para o tratamento de esporotricose.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.