MARCADORES MOLECULARES PARA DETECÇÃO DE LEISHMANIA SP EM EQUINOS

Gabriela Döwich, Irina Lubeck, Leticia Carvalho Cantele, Taiane Acunha Escobar, Luisa Zuravski, Nathália Zacarias Auzani

Resumo


Leishmanioses são doenças causadas por protozoários do gênero Leishmania, parasita que infecta diversos mamíferos, como caninos, felinos, equinos, incluindo o homem. Os equinos já foram diagnosticados com presença do protozoário em alguns países da Europa. O diagnóstico preciso de leishmaniose visceral é essencial para o controle da doença, a detecção de DNA em diferentes amostras biológicas tem sido empregada, e a reação em cadeia da polimerase (PCR) apareceu como uma alternativa porque representa um ganho em sensibilidade e especificidade de diagnóstico. Neste estudo, o objetivo foi avaliar marcadores moleculares empregados no diagnóstico de LV canina, para detectar material genético no sangue periférico de equinos, uma vez que não existe diagnóstico padronizado para a espécie. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética no Uso de Animais (CEUA) da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA), sob o número 029-2013. Foram selecionados 192 equinos do perímetro urbano do município de Uruguaiana-RS para realização do diagnóstico molecular de leishmaniose. A técnica utilizada para diagnóstico foi a Reação em cadeia da polimerase e a extração de DNA do sangue periférico foi realizada através do Kit Promega Wizard Genomic DNA Purification. Foram utilizados marcadores moleculares para diferentes regiões do DNA, As reações de amplificação continham DNA molde, dNTP, iniciadores, solução tampão, MgCl, enzima Taq DNA polimerase, e de água ultra pura, totalizando 25 µL. As amplificações ocorreram em termociclador em condições diferentes para cada marcador. A análise das amostras amplificadas foi realizada por eletroforese em gel de agarose coradas com brometo de etídeo. A avaliação da PCR revelou que dos 192 animais, 75 foram positivos para leishmaniose. Ao testar a capacidade de amplificação de dois marcadores moleculares de regiões distintas do DNA do protozoário, observou-se que o marcador molecular da região LT1 do kDNA, amplificou em 21 amostras. Enquanto que a região ITS foi amplificada em 33 animais, evidenciando um maior desempenho dos marcadores moleculares desta região do DNA ribossomal. Este estudo sugere a possibilidade de utilizar marcadores moleculares conhecidos para identificar fragmentos de DNA de Leishmania sp em equinos do município de Uruguaiana RS.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.