QUALIDADE DA APLICAÇÃO DE INSETICIDA REALIZADA EM DIFERENTES HORÁRIOS DE APLICAÇÃO NA CULTURA DA SOJA

Nelson Epping, Fernando Felisberto Da Silva, Eloá Matos dos Santos, Letícia Oliveira de Paula, João Paulo Souto Fernandes, Alexandre Russini

Resumo


A aplicação de agrotóxicos é influenciada por diversos fatores, principalmente relacionados ao ambiente e ao horário das operações, como forma de atenuar os efeitos adversos destas técnicas, faz-se uso de ferramentas como o óleo mineral e pressões de trabalho, que minimizam os efeitos do ambiente sobre as aplicações, assim, o presente trabalho tem por objetivo avaliar os efeitos do óleo mineral e diferentes pressões de trabalho sobre a qualidade de aplicação de inseticida realizada em diferentes horários. O experimento foi conduzido em lavoura de soja na safra de 2014/15 na cidade de Itaqui/RS, a aplicação foi realizada com pulverizador tratorizado, com inseticida Trinca Caps, piretroide, o óleo mineral foi Nimbus 2000, na dose de 0% e 0,5%, as pressões de 20, 35 e 50 lbs/pol2, nos horários das 10, 14 e 18 h, utilizando-se ponta duplo leque, para avaliação da aplicação, foi considerado a densidade de gotas depositadas em 1 cm2 de cartões hidrossensíveis em 3 repetições. Observou-se que o óleo foi responsável por incrementar os valores da variável principalmente nos horários das 10 e 14 horas, onde as gotas estão mais expostas à ação do ambiente, demonstrando seu efeito protetor sobre a aplicação. O aumento da pressão foi responsável por incrementar os valores de densidade de gotas, mesmo nos horários de maior temperatura, ficando próximo ao recomendado na literatura, sobre os horários, somente as 18 horas que foi possível verificar menor densidade de gotas, onde tal comportamento pode estar relacionado com a maior umidade relativa no local, permitindo uma menor evaporação e cobertura uniforme da superfície, em contrapartida, as 14 horas, horário menos recomendado para a aplicação, foi verificado maiores densidades, possivelmente atribuído às características físico-quimicas da calda, favorecendo a desagregação e espalhamento das gotas, com menor viscosidade e tesão superficial. Assim, para as condições do presente experimento, a utilização do óleo mineral associada às maiores pressões, possibilitam um incremento na densidade de gotas, mesmo com condições ambientais não favoráveis para a aplicação.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.