SIMULAÇÃO DE MODELOS BIOECONÔMICOS NO MANEJO REPRODUTIVO DE BOVINOS DE CORTE

Rodrigo Santos da Silva, Guilherme De Medeiros Bastos, Thais Lopes Gonçalves, Ricardo Pedroso Oaigen, Gabriel Feix Heckler, Rodrigo Santos da Silva

Resumo


Diversos são os protocolos de inseminação artificial, tendo justificada sua utilização no rápido incremento genético proporcionado aos rebanhos, possibilitando a concentração da parição, com formação de lotes uniformes. Contudo, a busca, pelo ótimo produtivo, não necessariamente virá acompanhada do ótimo econômico, nesse sentido a utilização de diferentes tecnologias devem ser submetidas à criteriosa análise de custo que justifiquem sua utilização e auxiliem na tomada de decisão.
Dessa forma, objetivo do presente trabalho foi realizar um comparativo bioeconômico simulado entre a utilização de três modelos reprodutivos em uma fazenda comercial de bovinos de corte com origem Taurina.
Para tanto, foi realizada uma simulação embasada em uma vasta revisão bibliográfica em relação aos indicadores zootécnicos de três diferentes modelos reprodutivos em vacas bos taurus e bos taurus indicus multíparas e novilhas, sendo eles inseminação artificial em tempo fixo (IATF e IAETF) e monta natural, seguidos de repasse com touro. Na composição dos custos foram contabilizados investimentos em hormônios e mão de obra, compra, manutenção e depreciação dos touros necessários para monta natural nos três sistemas. A receita foi obtida considerando a venda de todos os bezerros desmamados.
A partir das simulações obteve-se para o grupo IATF + Monta Natural 91,5% de prenhez para novilhas e 89,6% para multíparas. Para o grupo IAETF + Monta Natural obteve-se 92,3% e 91,5% para novilhas e multíparas, respectivamente. No grupo Monta Natural novilhas alcançaram 87,7% de prenhez e multíparas 82,5%. Considerando os índices obtidos na simulação econômica, considerando perdas e custos, observa-se vantagem econômica dos grupos de inseminação ( IATF ou IAETF) seguida por repasse com touros em detrimento da utilização exclusiva do reprodutor, justificada pelo maior lucro bruto em consequência da maior produção de quilos de terneiros. Com isso, conclui-se que a inseminação artificial em tempo fixo e inseminação artificial com detecção de estro em tempo fixo apresentam vantagem quando comparadas a Monta Natural, tanto nos aspectos zootécnicos (terneiros mais pesados), quando na geração de lucro, sendo portanto, ferramentas uteis para a viabilidade econômica da propriedade.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.