ADAPTAÇÃO VENTRICULAR ESQUERDA AO PASTOREIO EM CÃES

Raimy Martins, Joao Paulo Da Exaltacao Pascon, Karen Gúzman Béltran, Matheus Gomes Montano

Resumo


O termo coração atleta é definido pela adaptação fisiológica cardiovascular em resposta a exercícios repetitivos de alta intensidade. A crescente popularidade das diferentes práticas esportivas caninas, tem resultado em grande número de pesquisas cientificas a respeito das mudanças fisiológicas durante e pós exercício. A ecocardiografia, consiste em um exame cardiovascular não invasivo, usado intensivamente para identificar as alterações impostas pelos diferentes tipos de exercício, assim como na distinção de patologias em humanos e cães. Tendo em vista a intensa pratica de pastoreio realizada por cães no estado do Rio Grande do Sul, e a necessidade de maior conhecimento quanto a adaptação cardiovascular secundária ao exercício em cães, o presente trabalho tem como objetivo detectar por meio da ecocardiografia, o remodelamento cardíaco em cães praticantes de pastoreio. Foram avaliados 32 cães, com idade de 3,68±2,20, pesando 19,67±3,76 kg, machos e fêmeas. Por meio de um questionário previamente elaborado, os animais foram divididos em 2 grupos, totalizando 17 no grupo sedentários (GS) e 15 no grupo pastoreio (GP). Os cães foram submetidos a exame clinico, físico, eletrocardiograma e aferição da pressão arterial sistêmica, afim de incluir apenas animais saudáveis. O ecocardiograma foi realizado com os animais em decúbito lateral direito e esquerdo, contidos fisicamente, sem nenhum tipo de sedação. Utilizando o aparelho ultrassonográfico MyLab Twice Vet - ®Esaote, por meio do modo B (bidimensional), foi avaliado as estruturas anatômicas cardíacas e sua movimentação. No modo M (unidimensiosal), foram avaliados os seguintes parâmetros cardíacos: espessura do septo interventricular (SIV), parede livre do ventrículo esquerdo (PLVE) e diâmetro interno de ventrículo esquerdo durante o final da diástole (DIVE), e pico de sístole (DIVEs), fração de ejeção (FEj%) e fração de encurtamento (FS%), sendo estas indicadoras de função sistólica. Para avaliação dos resultados foi utilizado o programa estatístico GraphPad Prism®, aplicando-se o teste T-Student, com 95% de confiabilidade. O exame ecocardiográfico mostrou-se eficiente quanto a detecção do remodelamento cardíaco. Os valores médios do DIVd e DIVEs apresentaram-se significativamente maiores no grupo GP (4,03±0,52 e 2,73±0,35) quando comparado ao GS (3,74±0,35 e 2,42±0,24), no entanto, as demais variáveis não apresentaram diferença significativa. Estes dados, diferem das adaptações observadas em cães corredores da raça Greyhound, os quais apresentaram maior espessura do SIVd e SIVs, quando comparados aos cães sedentários. Acredita-se que esta diferença seja secundária ao tipo de atividade física realizada pelos cães, visto que a atividade de pastoreio é caracterizada pela moderada intensidade e longa duração, enquanto a corrida possui alta intensidade e curta duração. De forma semelhante ao observado nos cães do GP, seres humanos praticantes de atividades isotônicas de moderada intensidade, não desenvolveram hipertrofia concêntrica do ventrículo esquerdo, e sim aumento do diâmetro interno do ventrículo esquerdo, decorrente do aumento da demanda sanguínea. O presente trabalho pode concluir que a pratica de pastoreio realizada por cães da raça Border Collie e Ovelheiro Gaúcho Brasileiro, possui capacidade de induzir o remodelamento cardíaco, sendo este demonstrado através de pelo aumento do DIVEs e DIVEd.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.