AVALIAÇÃO DO COMPOSTO ZNEDTA NA BIOFORTIFICAÇÃO AGRONÔMICA DE CENOURAS

Jassana Moreira Floriano, Simone Noremberg Kunz, Paulo Jorge de Pinho, Carla Tuparai Casabonnet, Edina da Luz Abreu

Resumo


No Brasil a deficiência de Zinco (Zn) no solo é a mais comum entre os micronutrientes, fato que resulta em reduções de produtividade e qualidade nutricional dos alimentos. As regiões com baixos índices de Zn estão profundamente correlacionadas com alta incidência de deficiência de Zn na população, sendo identificada como um problema de saúde pública. Os quelatos de Zn, tais como ZnEDTA, têm sido amplamente utilizados para corrigir deficiências deste micronutriente em diferentes culturas. Vários autores têm sugerido a aplicação de formas complexadas de Zn no solo, a fim de oferecer uma fonte eficaz do elemento para as plantas. Considerando o impacto da carência de Zn no solo, nas plantas e no estado nutricional da população, tornam-se necessários estudos sobre a biofortificação agronômica de alimentos com este elemento. O objetivo deste trabalho foi avaliar a utilização da fonte de zinco quelatado e dosagem do micronutriente aplicada no solo para aumentar a concentração deste elemento na parte comestível da cenoura. O experimento foi conduzido em casa de vegetação, com delineamento experimental em blocos casualizados utilizando cinco doses de Zn (0, 5, 10, 20 e 30 mg dm-3) da fonte de quelato (EDTA) com quatro repetições aplicados no solo, utilizando 20 vasos com capacidade para 5 litros, preenchidos com materiais inertes, irrigados diariamente com solução nutritiva de HOAGLAND & ARNON modificada (sem zinco). Durante o experimento foi medida a altura das plantas para avaliar o crescimento. Depois da colheita foram determinados os pesos fresco e seco, comprimento e espessura da raiz. Deformidades foram classificadas conforme programa brasileiro para a melhoria dos padrões comerciais e embalagens de hortigranjeiros. As raízes secas e moídas foram decompostas por via úmida com mistura de HNO3 e H2O2 (3:1) em bloco digestor. A concentração de Zn foi analisada em espectrofotômetro de absorção atômica novAA 300, com chama acetileno/ar. O tratamento estatístico foi feito no programa Graph Pad Prism 5.0 (2007) aplicando o teste de ANOVA one way e teste de comparação Dunnett. Valores de p < 0,05 foram considerados significativos. Ao comparar os grupos, o tratamento com ZnEDTA dose 30 mg dm-3 apresentou diminuição significativa (p<0,05) no crescimento da parte foliar da planta quando comparado ao controle. Sobre a aparência para intenção de compra, de acordo com as normas de classificação de qualidade não são toleradas a comercialização de raízes com defeitos graves, e todas as amostras com a dosagem 30 mg dm-3 de ZnEDTA foram consideradas não comercializáveis. Em relação ao peso da raiz pós-colheita, o tratamento ZnEDTA 20 mg dm-³ apresentou menor média de peso quando comparada com os demais tratamentos (p<0,05). O tratamento com o quelato demonstrou certo nível de toxicidade, reduzindo o tamanho da hortaliça produzida. Ao utilizar o tratamento com ZnEDTA percebeu-se que não há acréscimo do acúmulo na raiz com o aumento da dose. Com isso, ao avaliar as desvantagens impostas pela aplicação das doses 20 e 30 mg dm-³ da fonte de ZnEDTA conclui-se que para a biofortificação de cenoura este tratamento não se mostra adequado.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.