A TRAJETÓRIA DOS NEGROS/AS NO ENSINO SUPERIOR E AS CONTRIBUIÇÕES NA CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE.

Andressa Pinto da Costa, Claudete da Silva Lima Martins

Resumo


O cenário educacional ainda está caminhando ao encontro de soluções para as das questões inclusivas e, no que diz respeito às questões étnico- raciais não é diferente. O cerne de todas essas questões é a busca pela tolerância, o respeito ao outro e as suas diferenças. O Brasil é multicultural e todos os povos que ajudaram a construir os pilares da história deixaram seu legado, inclusive o negro. Esse indivíduo em determinadas situações ainda é alvo de discriminação e ela se embasa principalmente em dois fatores: cor da pele e classe social. Essa discriminação é um reflexo ainda da relação senhorio e escravo, para sanar essa necessidades foram criadas as leis e medidas afirmativas que colocam vírgulas nestas questões. Mudando culturalmente essa identidade e quando ela muda, que reflexos pode ter nas percepções do indivíduo, ou seja o negro. Talvez o ponto final possa vir de uma abordagem que não saliente a diferença, não busque amenidades e sim um exercício reflexivo que leve de encontro ao respeito pela diversidade e pela identidade do outro seja ela qual for. É uma busca por conhecer-se e reconhecer-se no outro, tornando natural as diferenças e assim salientando as semelhanças. Portanto, este trabalho tem por objetivo analisar a trajetória acadêmica dos negros/as que ingressaram no ensino superior e perceber se houveram mudanças na percepção sociais e na identidade desses sujeitos. Portanto, trata-se de uma pesquisa exploratória que está sendo realizada em três instituições de Ensino Superior que se localizam na cidade de Bagé- RS. São sujeitos da pesquisa os discentes e docentes negros/as cotistas ou não dessas instituições. Realizamos revisão da literatura sobre a temática de investigação e iremos realizar a coleta de dados com a utilização de questionário que será aplicado com os professores e entrevistas que serão realizadas com os alunos negros/as. Após será realizada a análise do conteúdo dos dados obtidos. A pesquisa está em andamento, tendo iniciado em agosto de 2016 e seu término previsto para julho de 2017.
Acreditamos que é possível que um sujeito negro/a com domínio de sua mobilidade social construa e reconstrua sua identidade, ao longo da sua trajetória acadêmica no Ensino Superior, sendo consciente de seu valor, possibilidades e habilidades.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.