OLHAR DISCENTE SOBRE O CÓRREGO REGALADO EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE ALEGRETE/RS

Ruana Schlottfeldt Marini, Edward Frederico Castro Pessano

Resumo


O município de Alegrete/RS possui uma disponibilidade satisfatória de água sem a necessidade de efetuar medidas de estocagem durante as estações de estiagem. Porém, observa-se que alguns corpos dágua do município são alvos da destinação de efluentes sem tratamento. Esta é a realidade do arroio Regalado, o qual se apresenta impactado gradativamente no sentido nascente-foz no rio Ibirapuitã. A degradação ambiental é uma realidade que precisa ser debatida e contextualizada nas escolas, neste sentido, o presente trabalho tem como propósito avaliar as percepções de discentes sobre o arroio Regalado em uma escola pública próxima a este curso hídrico. Metodologicamente, esta investigação se caracteriza como quantitativa e qualitativa e teve como amostra 23 alunos de três turmas dos Anos Finais do Ensino Fundamental. O trabalho foi desenvolvido em três momentos ao longo de 2016, sendo estes: diagnóstico; processo de intervenção e avaliação final. Foram elaboradas duas atividades de coleta de dados, sendo estas, aplicação de questionário com perguntas semiestruturadas e produção de representações gráficas pelos alunos. Estas atividades foram realizadas antes e depois do processo de intervenção. Dessa forma, foi possível verificar se houveram mudanças nas percepções dos alunos. Para a análise das respostas ao questionário foi utilizada a metodologia de Analise de Conteúdo de Bardin (1977) e para a classificação das representações gráficas foi utilizada a adaptação do método de Sauvé (1997), levando em consideração as quatro categorias utilizadas por Pessano et al. (2013). Os resultados demonstraram que a maioria dos estudantes mora em bairros da periferia próximos ao arroio Regalado. Ainda, inicialmente, 60,9% dos alunos manifestaram conhecer o arroio Regalado, sendo que, 91,3% acreditam que este arroio, que tem grande parte de seu curso na zona urbana, é mais poluído do que o arroio Capivari, que tem seu curso na zona rural. A maioria dos alunos, inicialmente, respondeu que o arroio Regalado é mais poluído, pois tem seu curso na zona urbana. Porém, após a intervenção, eles constataram que ele é mais poluído, porque recebe um grande depósito de lixo e despejo de esgoto ao passar pelos bairros da cidade. Sobre as representações gráficas, na etapa de diagnóstico, 52,2% dos alunos representou o arroio como um lugar para se viver, porém, sem apresentar sinais de degradação, o que não condiz com a realidade do arroio. Após o processo de intervenção, ocorreram mudanças significativas, já que 95,7% dos alunos demonstrou perceber o arroio como um meio para viver com sinais de degradação. Constatou-se que, mesmo que o arroio Regalado faça parte da realidade da maioria dos alunos, os conhecimentos dos mesmos sobre essa temática é fragmentada e limitada. Portanto, é possível sugerir que devem ser adotadas práticas pedagógicas que tornem os processos de ensino-aprendizagem mais atrativos e significativos para os estudantes, levando em consideração os seus conhecimentos empíricos e associando conteúdos formais de forma contextualizada com as suas realidades locais.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.