EFEITO DO EXTRATO DE MANILKARA RUFULA SOBRE JUNÇÃO NEUROMUSCULAR DE BARATAS DA ESPÉCIE NAUPHOETA CINEREA

Bruna Trindade Borges, Lucia Helena do Canto Vinadé, Patrícia de Brum Vieira

Resumo


Os metabólitos secundários de plantas podem ser aplicados em diversas áreas, desde a farmacêutica, com a utilização de compostos vegetais para fabricação de medicamentos até a agrícola, com a produção de inseticidas. Plantas adaptadas a regiões de condições ambientais extremas, como baixa umidade e temperaturas elevadas como é o caso da Caatinga, possuem uma ampla diversidade de metabólitos secundários, os quais contribuem para sobrevivência destas. Muitos destes compostos não foram estudados e/ou descritos e despertam o interesse de muitos grupos de pesquisa. Quando se deseja avaliar o efeito entomotóxico de compostos vegetais, um modelo de estudo bastante viável é a barata, sendo que a espécie Nauphoeta cinerea já possui um histórico de utilização bastante satisfatório, principalmente devido ao seu sistema nervoso simplificado. Diante disso, o objetivo deste estudo foi avaliar a atividade de extrato bruto e frações enriquecidas de Manilkara rufula, planta nativa da Caatinga, sobre o sistema nervoso de insetos. Baratas adultas da espécie N. cinerea foram anestesiadas por congelamento a - 20ºC e posteriormente utilizadas em preparações in vivo de nervo-músculo coxal-abdutor metatorácico, através das quais pôde-se monitorar a atividade da junção neuromuscular, mais especificamente, o potencial elétrico gerado na musculatura do animal. Eletrodos foram inseridos no nervo 5, na região metatorácica do inseto, a estimulação elétrica e os registros eletromiográficos ocorreram durante 120 minutos. O extrato bruto de M. rufula foi administrado nas concentrações de 50, 100 e 200 µg por animal, assim como a fração metanólica foi administrada nas concentrações de 10, 20 e 40 ug por animal. Todas as concentrações administradas causaram uma diminuição inicial da amplitude de contração muscular, sendo que os extratos brutos tiveram um maior efeito sobre a resposta contrátil quando comparados à fração. A concentração de 100 µg por animal do extrato bruto teve o maior efeito sobre a amplitude de contração, pois diminuiu em torno de 50% a resposta contrátil. A fração, nas diferentes concentrações testadas, não demonstrou um efeito inibitório significativo sobre a junção neuromuscular, embora tenham facilitado em torno de 10% a resposta contrátil no início do tratamento, indicando que tanto o extrato bruto quanto a fração possuem um efeito modulador sobre o sistema nervoso. Essa modulação pode estar relacionada com a diminuição dos níveis de ácido gama-aminobutírico (GABA), um importante neurotransmissor inibitório, ou o aumento dos níveis de glutamato, um neurotransmissor excitatório, durante o início do tratamento, o que surtiria na facilitação da força de contração. Neste sentido, estudos utilizando inibidores dos receptores de GABA e glutamato serão realizados para avaliar a participação da via gabaérgica ou glutamatérgica no efeito modulador do extrato de M. rufula no sistema nervoso de N. cinerea. Os resultados obtidos neste estudo sugerem que o extrato bruto obtido da planta M. rufula apresenta efeitos moduladores sobre o sistema nervoso de insetos e o potencial desta planta como inseticida.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.