ASPECTOS SOBRE A LEISHMANIOSE E SEU REFLEXO NA SAÚDE PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE URUGUAIANA

Carine Rampelotto, Joao Paulo Da Exaltacao Pascon

Resumo


A Leishmaniose é uma doença de potencial zoonótico com distribuição mundial e um grave problema de saúde pública. Atualmente, encontra-se entre as seis endemias consideradas prioritárias no mundo, ocasionando 59.000 óbitos humanos por ano. Atinge os 21 estados brasileiros com maior impacto nas regiões Norte e Nordeste. Até 2008, o Rio Grande do Sul era considerado livre da doença, quando teve os primeiros casos humano e animal registrados na cidade de São Borja, região da fronteira oeste. A partir daí, outros municípios como Porto Alegre e Uruguaiana, identificaram casos autóctones em cães. Conforme dado da Vigilância Sanitária de Uruguaiana, em 2013, dos aproximadamente 70 cães testados no período de um mês, 90% apontaram resultado positivo. De janeiro a agosto de 2016, foram atendidos 36 casos de Leishmaniose canina no Hospital Universitário Veterinário da Universidade Federal do Pampa. Os principais sinais clínicos relatados foram emagrecimento progressivo, hiporexia ou anorexia, prostração, poliúria/polidipsia e lesões dermatológicas localizadas predominantemente na face. Em geral, ao exame físico puderam ser observadas mucosas pálidas, desidratação em diferentes graus, magreza ou caquexia, além de lesões dermatológicas ulcerativas em membros, face (região periocular) e bordas das orelhas, bem como descamação no dorso do abdômen. Na hematologia, prevaleceram as alterações de hematócrito, comumente abaixo do valor de referência para a espécie, elevação na proteína plasmática total e alterações de substâncias que avaliam função renal (creatinina e ureia). O método mais empregado para determinação do diagnóstico definitivo foi o exame parasitológico direto, através da citologia aspirativa por agulha fina (CAAF) de linfonodos. Dos 36 casos confirmados, foi realizada a eutanásia em 19 animais. A crescente casuística da doença nos últimos anos coloca em pauta a discussão das estratégias de controle empregadas no município e seus reflexos na saúde pública. Diversos estudos relatam a relevância do conhecimento dos dados de casos de Leishmaniose em cães, uma vez que a presença da enfermidade nessa população tende a anteceder os casos humanos. Dessa forma, os Uruguaianenses vivem um momento de vulnerabilidade, com reais riscos de contração da doença. O acesso à informação é muito importante para os habitantes, que necessitam conhecer a Leishmaniose em todos os âmbitos, mas principalmente, os métodos de prevenção. Do mesmo modo, é fundamental que sejam empregadas ações de controle do inseto flebotomineo responsável pela transmissão do protozoário do gênero Leishmania, causador da enfermidade. Associado a isso, é imprescindível que a população seja conscientizada acerca da posse responsável, para controle da população de cães errantes, reservatórios importantes na manutenção da doença. As medidas de controle de zoonoses devem ser constantemente analisadas, reavaliadas e divulgadas, para promover a mobilização da população. Diante deste cenário, fica evidente a necessidade de uma ampla discussão a respeito da enfermidade no município de Uruguaiana. A Leishmaniose representa uma preocupação constante para os profissionais atuantes na saúde pública e medicina preventiva, portanto, deve ser conhecida, esclarecida e debatida com seriedade por uma equipe multidisciplinar juntamente com as autoridades a fim de promover e proteger a saúde humana e animal.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.