A ECONOMIA INSTITUCIONAL E O DESENVOLVIMENTO RURAL: ABORDAGENS TEÓRICAS E EVIDÊNCIAS EMPÍRICAS

CÍNTHIA SIMÕES DA SILVA, JOÃO GARIBALDI ALMEIDA VIANA, DÉBORA NAYAR HOFF

Resumo


O presente artigo tem como objetivo realizar uma revisão de literatura sobre como as abordagens da Economia Institucional vem sendo aplicadas nos estudos sobre Desenvolvimento Rural. Para alcançar o objetivo proposto utilizou-se o método de levantamento bibliográfico documental. O trabalho apresenta o pensamento da Economia institucional, e as suas três correntes: Antigo Institucionalismo, a Nova Economia Institucional (NEI) e o Neoinstitucionalismo. Por último analisa as abordagens aplicadas nos estudos que envolvem o Desenvolvimento rural. O estudo demonstrou que as abordagens institucionalistas estão frequentemente presentes nos estudos do desenvolvimento rural por meio da análise de custos de transação, estruturas de governança, contratos e regras formais e informais. Nesse sentido, destaca-se que os principais temas abordados nos estudos analisados estão relacionados aos pressupostos da Nova Economia Institucional, demostrando a corrente utilização dessa abordagem na observação dos elementos do ambiente rural. No entanto, ainda que pouco abordados, evidencia-se a aplicabilidade dos pressupostos do Antigo Institucionalismo e do Neoinstitucionalismo para a compreensão de fenômenos empíricos que envolvem o desenvolvimento rural. Identificando assim, a possibilidade de futuras investigações que envolvam essas abordagens.

 

Palavras-chave: economia institucional, desenvolvimento rural, nova economia institucional, antigo institucionalismo, neoinstitucionalismo.


Palavras-chave


ECONOMIA INSTITUCIONAL, DESENVOLVIMENTO RURAL, NOVA ECONOMIA INSTITUCIONAL, ANTIGO INSTITUCIONALISMO, NEOINSTITUCIONALISMO.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Resultado de imagem para logo diadorim Sumários.org