A FAMÍLIA COMO UM DIREITO HUMANO ATRAVESSANDO TEMPOS E HISTÓRIAS

Sheila Marta Carregosa Rocha

Resumo


A tese defendida neste artigo é a de que a família constitui um direito humano, porque se considera esse espaço, esse conjunto, esse fenômeno complexo como sendo de fundamental importância para a existência, criação, desenvolvimento e suporte emocional e físico de qualquer ser humano, que contribui diretamente na construção da personalidade do indivíduo e na formação de seu caráter, além do papel de cuidar, a família tem a função de prepará-lo para a vida, construindo o seu futuro como pessoa, como um ser social e profissional. Esse enfrentamento da pessoa com a vida encontra obstáculos, por isso também a família é importante para orientar esse indivíduo, mas preservar o seu livre arbítrio para as próprias escolhas e suas consequências. A metodologia de abordagem qualitativa, a técnica através do levantamento de referencial teórico e o método comparativo traçam o perfil da metodologia utilizada para refletir sobre o papel da família e a sua importância na formação da personalidade do indivíduo, através da educação informal, cuja transmissão de valores é a base de construção de um ser humano. E com isso levantar critérios que classifiquem a família como um direito humano.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.