VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: DA FRAGMENTAÇÃO À INTEGRALIDADE DO ATENDIMENTO

Renata Gomes da Costa, Monique Soares Vieira

Resumo


O presente artigo intenciona refletir sobre a atuação das políticas de Saúde e Assistência Social na Rede de Proteção às crianças e adolescentes em situação de violência, com vistas a contribuir para o fortalecimento do debate acerca da intersetorialidade, enquanto estratégia primordial para a garantia de um atendimento integralizador. A pesquisa teórica que subsidiou as reflexões desse trabalho fora construída a partir de uma análise bibliográfica e documental dos instrumentos dispostos pela Política de Saúde e de Assistência Social, no que tange o atendimento às crianças, adolescentes e suas famílias que encontram-se em situação de violência. Desse modo, a efetividade da intersetorialidade requer a ultrapassagem da lógica do mero “encaminhamento”, construindo uma práxis com qualidade técnica, metodológica e ética que vise à edificação de um atendimento que promova os direitos da infância e adolescência desde o acolhimento até o desligamento desses sujeitos dos serviços e assim superando ações fragmentadas, imediatistas e não protetoras.

 

Palavras-Chave: Política de Assistência Social, Política de Saúde, Intersetorialidade, Criança e Adolescente, Violência.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.