“¿Quién te falta?”: As Mães da Praça de Maio na Argentina e a memória do autoritarismo contra os seus direitos “¿Quién te falta?”:The Mothers of the Plaza de Mayo in Argentina and the memory of authoritarianism against their rights

Sandra Barbosa Parzianello, Geder Luis Parzianello

Resumo


Resumo

Este artigo resgata a memória contra os direitos em plena ditadura cívico-militar argentina. O estudo toma o episódio mundialmente conhecido das Mães da Praça de Maio como ícone da luta pelos seus direitos ao longo de mais de quatro décadas. Mães, avós, mas antes de tudo mulheres, elas perderam seus filhos e netos diante das atrocidades de ditadores políticos. A presente pesquisa usa metodologia de investigação bibliográfica e documental, com recurso de análise interpretativa histórica para voltar a refletir na contemporaneidade sobre os processos de mobilização que orientaram a atuação daquelas mulheres para a defesa dos direitos humanos. O objetivo do estudo foi resgatar este saber sobre como a Argentina passou pelo período de ditadura e analisar os reflexos ainda hoje existentes dos impactos gerados com as violações praticadas há mais de quarenta anos.  O estudo reconstitui a experiência histórica argentina por  três eixos: i) Contextualização do último período autoritário, tomado como ditadura permanente (1976-1983) e sua transição para a democracia; ii) A luta contra as violações dos direitos humanos articulados por órgãos de repressão nos anos de ditadura iii) Os avanços e retrocessos na experiência argentina segundo interpretação possível na atualidade.

Palavras-chave: Ditadura Argentina; Mães da Praça de Maio; Direitos Humanos.

Abstract

This paper rescues the memory against the Rights in Argentine during the civic and military dictatorship in that country. The study takes the worldwide known episode of the Mothers of the “Plaza de Mayo” as an icon of the struggle for their rights over more than four decades. Moms, grandmothers, but above all just women, they lost their children and grandchildren in the face of the atrocities of political dictators. The present research uses methodology of bibliographical and documentary research, with the use of historical interpretative analysis to reflect nowadays on the processes of mobilization that guided the performance of those women for the defense of Human Rights. The objective of the study was to rescue this knowledge about how Argentina went through the period of dictatorship and to analyze the reflexes of the impacts those still exist in that country whose were generated by the violations along forty years. The study reconstructs the historical experience of Argentina through three axes: i) Contextualization of the last authoritarian period, taken as permanent dictatorship (1976-1983) and its transition to democracy; ii) The fight against Human Rights violations articulated by repressive organs in the years of the last dictatorship iii) The advances and setbacks in the Argentine experience according to the currently possible interpretation.

Keywords: Argentine dictatorship; Mothers of the Plaza de Maio; Human rights.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.