Contratos Agroindustriais e Isomorfismo Organizacional

Mauro Barcellos Sopeña, Tiago Zardin Patias, João Garibaldi Almeida Viana

Resumo


O artigo explora condicionantes teóricos relativos ao isomorfismo institucional valendo-se do esquema conceitual usualmente empregado na análise de organizações isomorfas. Com base em sua classificação genérica, a abordagem institucional sobre isomorfismo organizacional pressupõe que as organizações estão propensas à homogeneização de suas estruturas por meio de mecanismos coercitivos, miméticos e normativos. Argumenta-se, no entanto, que a emergência de novos mecanismos coercitivos associados ao ordenamento jurídico estatal pode resultar de processos institucionais miméticos ou normativos, contrariando o notório poder conferido ao Estado sobre as organizações, verificado em muitos escritos. A realidade institucional dos contratos agrícolas de integração produtiva no Brasil, cenário escolhido para análise, aponta para um processo isomórfico que, de certa maneira, inverte a ação coercitiva do Estado ao revelar, no âmbito legal, sua sujeição ao contexto produtivo daquelas organizações.

Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.