Eurípides retórico: estudo e tradução do agón lógon de Etéocles e Polinices (As Fenícias, 443-637)

Waldir Moreira de Sousa Jr

Resumo


Apresento a tradução da segunda parte do primeiro episódio da peça As Fenícias de Eurípides feita de acordo com texto grego estabelecido por Mastronarde (1994). Esta parte da tragédia mostra como Eurípides pode ser entendido como um tragediógrafo retórico. Mostro em uma breve apresentação como o pensamento sofístico da época influenciou a composição da trama da peça, argumentando, contudo, que o poeta não fez dele elemento decisivo para o desfecho da ação dramática.

Referências


ALLAN, W. “Euripides and the Sophists: Society and the Theatre of War”. Illinois Classical Studies, Vol. 24/25, Euripides and Tragic Theatre in the Late Fifth Century (1999-2000), pp. 145-156.

__________.“Divine Justice and Cosmic Order in Early Greek Epic”, The Journal of Hellenic Studies, Vol. 126 (2006), pp. 1-35.

__________. “Religious Syncretism: The New Gods of Greek Tragedy”, Harvard Studies in Classical Philology, Vol. 102 (2004), pp. 113-155.

ANDRADE, Tadeu Bruno da Costa. A arte de Aristófanes: estudo poético e tradução d´As Rãs, 2014. Dissertação (Mestrado em Letras Clássicas) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2014. doi:10.11606/D.8.2014.tde-150522015-094808. Acesso em: 2016-10-10.

COLLARD, C. “Formal Debates in Euripides´ Drama”. IN: MOSSMAN, J. (ed.) Oxford Readings in Classical Studies. Euripides. Oxford, Oxford University Press, 2003.

CRAIK, E. Euripides, Phoenician Women. Commentary. Wiltshirte: Aris & Phillips LTD, 1988.

DREW-BEAR, T. The Trochaic Tetrameter in Greek Tragedy. The American Journal of Philology, Vol. 89, No. 4 (Oct., 1968), pp.385-405.

GOLDHILL, S. Reading Greek Tragedy. Cambridge, Cambridge University Press, 1986.

KOVACS. D. Euripides. Helen. Phoenician Women. Orestes. Cambridge and London, Harvard University Press, 2002.

LEFKOWITZ, M. “‘Impiety’ and ‘Atheism’ in Euripides´ Drama”. IN: MOSSMAN, J. Oxford Readings in Classical Studies. Euripides. Oxford, Oxford University Press, 2003.

_________. Euripides and the Gods. Oxford, Oxford University Press, 2016.

LLOYD, M. The Agon in Euripides. Oxford, Oxford University Press, 1992.

LLOYD-JONES. H. The Justice of Zeus. Berkeley: University of California Press, 1983 (2ª Ed.).

MASTRONARDE, D. Euripides. Phoenissae. Cambridge: Cambridge University Press, 1994.

__________. The art of Euripides: Dramatic Technique and Social Context. Cambridge, Cambridge University Press, 2010.

MEDDA, ENRICO. Euripide. Le Fenicie. Milão: RCS Libri, 2006.

PELLING, C. “Tragedy, Rhetoric, and Performance Culture”. IN: GREGORY, J. (Ed.) A Companion to Greek Tragedy. Malden, Blackwell Publishing Ltd, 2005.

SALVADOR, E. L. “As Fenícias, de Eurípides (vv. 445- 587)”. Archai, n. 12, (2014), pp. 183-189 DOI: http://dx.doi. org/10.14195/1984-249X_12_18.

SCHÜLER, D. (trad.) As Fenícias. Eurípides. São Paulo L&PM Editores, 2005.

WALKER, J. Rhetoric and Poetics in Antiquity. Oxford, Oxford University Press, 2000.


Texto completo: desousajr desousa.PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Editor-gerente: Prof. Dr. Rafael da Costa Campos (Unipampa)

Editores: Prof. Dr. Dominique Vieira Coelho dos Santos (FURB); Profa. Dra. Lyvia Vasconcelos Baptista (UFRN); Profa. Dra. Semíramis Corsi Silva (UFSM)

Submissão: fluxo contínuo

Endereços importantes:

Grupo de Trabalho de História Antiga (Regional Rio Grande do Sul) da Associação Nacional de Professores Universitários de História: http://gthars.wordpress.com/

Grupo de Trabalho de História Antiga da Associação Nacional de Professores Universitários de História: http://www.gtantiga.com/

Sociedade Brasileira de Estudos Clássicos: http://www.classica.org.br/

Associação Brasileira de Estudos Medievais: http://www.abrem.org.br/