Conhecimento e Drama no Banquete

Camila Souza Silva

Resumo


Os estudos sobre Platão, quando neles estão em jogo a conhecida oposição do filósofo aos poetas, há duas vertentes que merecem atenção: a que salienta a crítica de Platão aos gêneros dramáticos e poéticos, e a que reconhece na obra do filósofo um elo dialético entre logos e hýbris. Duas perspectivas que se mostram ainda mais complexas quando inserimos o elemento cênico, profundamente interligado com seu modo de fazer filosofia. Nossa intenção é dar algumas indicações de como o filósofo grego concilia forma dramática e conteúdo filosófico, tomando como ponto de apoio os elogios de Sócrates e Alcibíades no Banquete. É possível mostrar, assim, que a crítica do filósofo não significa a negação da tragédia e da poesia, e sim seu redirecionamento visando uma nova forma de paidéia grega.

Palavras-chave: Drama, conhecimento, Alcibíades, Platão

Texto completo: silva.PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Editor-gerente: Prof. Dr. Rafael da Costa Campos (Unipampa)

Editores: Prof. Dr. Dominique Vieira Coelho dos Santos (FURB); Profa. Dra. Lyvia Vasconcelos Baptista (UFRN); Profa. Dra. Semíramis Corsi Silva (UFSM)

Submissão: fluxo contínuo

Endereços importantes:

Grupo de Trabalho de História Antiga (Regional Rio Grande do Sul) da Associação Nacional de Professores Universitários de História: http://gthars.wordpress.com/

Grupo de Trabalho de História Antiga da Associação Nacional de Professores Universitários de História: http://www.gtantiga.com/

Sociedade Brasileira de Estudos Clássicos: http://www.classica.org.br/

Associação Brasileira de Estudos Medievais: http://www.abrem.org.br/